O vigésimo sétimo 0 x 0 do Brasileirão 2018 – terceiro do Sport e do Cruzeiro -, no único jogo da tarde deste sábado (8), na Ilha do Retiro, no Recife, foi bom para o Vasco, alcançado em pontos (24) pelo rubro-negro pernambucano, que permanece como primeiro dos quatro últimos, porque tem vantagem no saldo de gols (menos 8) e o Sport, menos 16. Mas o Vasco ainda pode entrar no rebaixamento, amanhã (9), se não ganhar do Vitória, e o Ceará (23) vencer o América Mineiro.

MAL ANULADO – O Cruzeiro foi ligeiramente superior ao Sport e teve um gol mal anulado do argentino Hernan Barcos, aos 29 do primeiro tempo. Depois que a bola voltou da trave, Barcos estava em posição legal, mas Vinícius Dias Araújo, árbitro da Federação Paulista, anulou por impedimento inexistente. A decisão causou muita revolta no técnico Mano Menezes, repreendido pelo árbitro, que o ameaçou de expulsão da área técnica.

GOLEIRO HERÓI – Magrão, goleiro do Sport, saiu ovacionado ao defender o pênalti, do lateral Raul Prata no atacante David, que Raniel bateu no canto direito. Foi o trigésimo terceiro pênalti – recorde mundial – que Magrão defendeu em 13 anos no clube, ao completar 719 jogos, recordista de jogos com a camisa do Sport. Os menos de 10 mil torcedores no estádio da Ilha do Retiro – R$53.860,00, com 9.525 pagantes – aplaudiram o goleiro de pé, gritando seu nome em coro.

HISTÓRICO – Alessandro Beti Rosa, o Magrão, tem 41 anos, nascido em 9/4/77, na capital de São Paulo, onde começou aos 20 anos no Nacional, da Rua Comendador Souza. Chegou ao Sport em 2005, por indicação do então técnico Zé Teodoro, ex-lateral do São Paulo. Antes de ganhar sete títulos pernambucanos – pentacampeão 2006/07,08, 09 e 2010, e os de 2014 e 2017 -, foi duas vezes campeão cearense, em 2002 pelo Ceará e em 2004 pelo Fortaleza.

O PRIMEIRO – Magrão ganhou seis vezes consecutivas o prêmio de melhor goleiro do Campeonato Pernambucano, e recorda que o primeiro dos 33 pênaltis que defendeu, foi batido por seu ídolo, Rogério Ceni – melhor goleiro da história do São Paulo e recordista mundial em gols de pênalti e falta -, no jogo da Série A do Campeonato Brasileiro, que o Sport perdeu (2 x 1) para o São Paulo, em 28 de outubro de 2007, na Ilha do Retiro.

HOMENAGEM – Entre tantas provas de carinho do clube e dos torcedores, Magrão não hesita em afirmar que a melhor homenagem recebida foi a do jogo Sport x Salgueiro, pelo Campeonato Pernambucano, em 26 de abril de 2015. Foi a única vez na carreira que jogou com a camisa 10, por estar completando 10 anos no clube: “Algo que me arrepiou e me deixou feliz e muito emocionado” – resume Magrão.

DEPUTADO – Filiado ao PSB, a convite do então governador Eduardo Campos – 10/8/1965 – 13/8/2014 -, Magrão será candidato a deputado federal ao encerrar a carreira, ainda sem data. O goleiro não tem dúvida de que a torcida do Sport vai elegê-lo com uma das votações mais expressivas. 

Foto: site futebolinterior