Escolha uma Página

Foto: Miguel Locatelli/Atlético-PR

O Atlético Paranaense completou 11 vitórias consecutivas na Arena da Baixada, em Curitiba, superando sua própria marca de 10 vitórias em 2016, ao golear (4 x 0) o Sport, penúltimo colocado, que improvisou o meia Gabriel, ex-Flamengo, no gol, após a saída do goleiro Magrão, com fortes dores no braço aos 32 do segundo tempo, quando as três substituições já haviam sido feitas. Todos os gols no segundo tempo e os dois últimos marcados em Gabriel, que nada pôde fazer.

TIAGO HELENO, zagueiro, fez 1 x 0, de cabeça, logo no primeiro minuto. O atacante Bergson marcou o segundo, aos 10, convertendo pênalti cometido com o braço pelo lateral Raul Prata. O terceiro, já com Gabriel improvisado no gol do Sport, foi o segundo gol de Bergson, aos 38. Dois minutos depois, Rony fechou a goleada, a terceira de 4 x 0, como as impostas ao Vitória e ao América Mineiro. 

FLUMINENSE CAIU – O Atlético Paranaense soma 39 pontos – 11 vitórias, 6 empates, 12 derrotas, 41 gols pró, 29 contra – e subiu duas posições, terminando a rodada 29 em oitavo lugar, ultrapassando Fluminense (37) e Cruzeiro, também com 37, mas com um jogo a menos com o Ceará. Dos 16 jogos em casa no Brasileirão, o Atlético Paranaense ganhou 11, empatou 2 e perdeu 3. O próximo jogo será com o São Paulo, sábado (20), no Morumbi. E como visitante os outros jogos serão com Internacional, Vasco, Vitória e Flamengo (última rodada). Em casa, com Botafogo, Cruzeiro, Corinthians e Ceará.

O TÉCNICO – Nove vitórias no Brasileirão e duas vitórias na Copa Sul-Americana sob o comando de Tiago Nunes, 38 anos, gaúcho de Santa Maria da Boca do Monte, técnico que nunca foi jogador e começou em 2005 em São Luis do Maranhão; foi campeão no Acre em 2010 pelo Rio Branco AC;  treinou o Nacional FC de Manaus; a base do Grêmio em 2013; campeão paranaense sub-23 pelo Atlético, e técnico do time principal desde 27 de junho, após a saída de Fernando Diniz.

O TIME – Santos, Jonathan, Paulo André, Tiago Heleno e Renan Lodi; Bruno (Rossetto), Lucho Gonzalez (Wellington) e Rafael Veiga; Nikão (Rony), Marcelo Cirino e Bergson – o time que bateu neste domingo o recorde de vitórias consecutivas (11) do Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, em Curitiba. Em 2016 o time havia chegado a 10 vitórias seguidas.

COMPLICADA – Com a décima sexta derrota – segundo que mais perdeu -, a situação do Sport, penúltimo com 27 pontos em 29 rodadas, é muito complicada. Em 15 jogos como visitante, sofreu a décima segunda derrota. Ainda jogará fora do Recife com Grêmio, Fluminense, Chapecoense e São Paulo. O próximo jogo, sábado (20), será com o Vasco, na Ilha do Retiro, e os outros jogos em casa serão com Ceará, Vitória, Flamengo e Santos (última rodada, 2 de dezembro).

VICTOR NÃO DEIXOU AMÉRICA VENCER

Foto: site galonews.com.br

No estádio Independência, em Belo Horizonte, o goleiro Victor, 35 anos, 1,93m, paulista de Santo Anastácio a 600 km da capital, resolveu fechar o gol do Atlético, que defende desde 2012, e não deixou o América vencer o clássico mineiro. Foi o trigésimo terceiro 0 x 0 do Brasileirão 2018, segundo do Atlético, quinto do América. O Atlético manteve o sexto lugar com 46 pontos e domingo (21) jogará no Rio com o Fluminense. O América foi para o décimo terceiro lugar com 33 pontos e sábado (20) jogará com o Grêmio, em Belo Horizonte.