Escolha uma Página

Jorginho, carioca de 56 anos, lateral do tetra da Copa de 94, foi o décimo segundo técnico demitido do Campeonato Brasileiro de 2020, na noite de ontem (25), um dia depois da segunda derrota consecutiva do Coritiba (2 x 1 de virada para o Ceará. Em 13 rodadas sob seu comando – 6 derrotas, 4 empates, 3 vitórias -, o time só ficou duas rodadas fora do rebaixamento e está em penúltimo, com 16 pontos em 18 jogos, com 4 vitórias, 4 empates, 10 derrotas e saldo negativo de 9 gols (15 a 24).

OS DEMITIDOS – Nas 13 trocas, o único técnico a não ser demitido foi Vagner Mancini, que pediu para sair do Atlético Goianiense e assumir o Corinthians. Os 12 demitidos foram: Ney Franco, do Goiás, e Eduardo Barroca, do Coritiba, na quarta rodada. Daniel Paulista, do Sport, e Dorival Junior, do Athletico Paranaense, na quinta rodada. Felipe Conceição, do Bragantino, na sexta rodada. Roger Machado, do Bahia, na sétima rodada. Tiago Nunes, do Corinthians, na nona rodada.

PAULO AUTUORI, do Botafogo, e Tiago Larghi, do Goiás, demitidos na décima segunda rodada. Ramon Menezes, do Vasco, na décima quarta rodada. Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, na décima sexta rodada, e na noite de ontem (25), Jorginho, do Coritiba, demitido na décima oitava rodada. Bom lembrar: nos dois Campeonatos Brasileiros anteriores, 48 técnicos foram demitidos: 25 em 2018 e 23 em 2019.

CINCO MANTIDOS – Depois de 18 rodadas, apenas cinco técnicos mantidos: Fernando Diniz (São Paulo), Rogerio Ceni (Fortaleza), Odair Hellmann (Fluminense), Eduardo Coudet (Internacional) e Renato Portaluppi, o que permanece há mais tempo, desde 21 de setembro de 2016, quando voltou pela terceira vez ao Grêmio, que o homenageou com uma estátua, em tamanho natural, inaugurada em 25 de março de 2019, na entrada principal da Arena Grêmio. Bom lembrar: Renato é o único da história do clube, campeão da Libertadores, como jogador e técnico, e autor dos gols do título mundial de clubes na final de 1983 (Grêmio 2 x 1 no Hamburgo), no Estádio Nacional de Tóquio.

PAULO AUTUORI, após a saída do Botafogo, está acumulando os cargos de diretor-executivo e técnico, mas não pôde ficar na área técnica no jogo da noite de ontem (25), que seria o primeiro no comando do time do Athletico Paranaense, porque está cumprindo suspensão de três jogos, por ofensas ao árbitro, quando ainda era o técnico do Botafogo.

AJUDOU O BOTAFOGO – Na virada de ontem (25) sobre o Athletico Paranaense (2 x 1), na Arena da Baixada, em Curitiba, o Grêmio ajudou o Botafogo a se manter fora do rebaixamento, em que teria entrado se o Athletico vencesse. O Grêmio subiu para o nono lugar com 24 pontos em 17 jogos, e o Athletico é antepenúltimo com 16 pontos em 17 jogos. O Botafogo é décimo sexto com 19 pontos e seu jogo da rodada foi adiado porque o São Paulo disputou na noite de ontem (25) o jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil e se classificou ao vencer o Fortaleza por 10 x 9 nos pênaltis, após 2 x 2 nos 90 minutos, no Morumbi.

Foto: Tribuna do Paraná