A pausa forçada do futebol não pode nem deve servir de pretexto para que hoje, 8 de abril de 2020, depois de  catorze meses, o incêndio do Ninho do Urubu continue impune. O registro do dia mais negro e doloroso da história de 125 anos do Flamengo, tem que voltar a ser feito. O passar do tempo não deve deixar que, a pouco e pouco, a tragédia seja esquecida. Em área de responsabilidade única do clube, dez jovens morreram queimados.