Grêmio e Chapecoense fizeram na noite de ontem (5), na Arena Grêmio, em Porto Alegre, um jogo emocionante do início ao fim, com inédito 3 x 3 em 128 jogos no Brasileirão 2019 e também o único com 2 x 2 no primeiro tempo, em que o Grêmio esteve sempre em vantagem, que só perdeu no início do segundo tempo quando a Chapecoense fez 3 x 2. O Grêmio empatou quase no fim, com o terceiro gol de cabeça do jogo, em que houve pênalti não confirmado pelo árbitro de video.

DOIS DE CABEÇA – Os quatro gols do primeiro tempo foram marcados em 34 minutos. O zagueiro Geromel fez 1 x 0 Grêmio logo aos 8, desviando de cabeça o escanteio de Alisson. Everaldo empatou aos 11, em boa jogada individual, em que passou por dois marcadores, antes de fazer seu primeiro gol fora de casa e de se isolar como vice-artilheiro do campeonato com 7. O Grêmio fez 2 x 1 aos 26, com chute forte de Everton, no canto esquerdo do goleiro Tiepo, que saltou atrasado e depois reconheceu a falha. Gustavo Campanaro marcou o segundo da Chapecoense, de cabeça, aos 34, após o escanteio de Camilo.

GOL DA VIRADA – A Chapecoense ficou pela única vez à frente do placar aos 4 do segundo tempo, com o gol de Arthur Gomes, após o passe de Augusto. A Chapecoense recuou e só não levou a virada porque um chute de Everton parou no travessão e Tiepo defendeu a cabeçada, frente a frente, de Diego Tardelli, que conseguiu o empate final aos 36, com o terceiro gol de cabeça do jogo, após desviar a falta que Luan bateu do lado da área. Foi o primeiro gol que marcou no Brasileirão 2019.

SEIS CARTÕES – Foram três no primeiro tempo: Everaldo, aos 24, por uma sola em Maicon; Alisson, aos 27, também por sola em Marcio Araújo, e Arthur Gomes, aos 44, por falta em Kannemann. No segundo tempo, Kannemann, aos 16, por falta dura em Marcio Araújo; Maicon, aos 37 e Geromel, aos 43, ambos por reclamação. O reserva Régis, da Chapecoense, saiu do banco para reclamar e levou cartão amarelo. Depois de dois jogos nas Séries B e C, e um jogo na Série D, o árbitro Felipe Fernandes Lima, 32 anos, da Federação Mineira, teve boa estreia na Série A.

O ÁRBITRO deu seis minutos de acréscimos no segundo tempo e chegou a marcar pênalti do zagueiro Maurício Ramos, da Chapecoense, no zagueiro Kannemann, mas pediu tempo para rever, em sua única consulta ao árbitro de video, e acertadamente, não confirmou. O árbitro encerrou o jogo antes de um escanteio a favor do Grêmio. Foi cercado no grande círculo pelo técnico Renato Gaúcho, limitando-se a ouvir as ponderações. R$410.854,00. 13.418 pagantes, apesar da noite fria (11 graus), em Porto Alegre.

GRÊMIO – Paulo Victor, Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez (Luan, 29 do segundo tempo); Maicon, Mateus Henrique e Jean Pyerre (Diego Tardelli, 29 do segundo tempo); Alisson (Pepê, 19 do segundo tempo), André e Everton. O Grêmio diz ter recebido oferta de R$200 milhões do Beijing Guoan, mas pediu mais R$65 milhões ao clube chinês para liberar o atacante Everton. Em sua terceira passagem pelo Grêmio, Renato Gaúcho completou 200 jogos no comando do time.

CHAPECOENSE – Tiepo, Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Marcio Araújo, Gustavo Campanaro (Tharlis, 35 do segundo tempo), Augusto (Amaral, 20 do segundo tempo) e Camilo; Arthur Gomes (Kayzer, 25 do segundo tempo) e Everaldo. Técnico – Emerson Cris.

JEJUM DUPLO – Com o terceiro empate consecutivo, o Grêmio manteve o décimo terceiro lugar com 17 pontos – 4 vitórias, 5 empates, 4 derrotas – e sem saldo de gol (16 a 16), mas pode ser ultrapassado pelo Goiás (17), que faz amanhã (7) o jogo atrasado da sétima rodada com o Corinthians. Em seu próximo jogo, sábado (10), às 19 horas, com o Flamengo, no Maracanã, o Grêmio não terá o zagueiro Geromel e o meia Maicon, suspensos pelo terceiro cartão amarelo.

A CHAPECOENSE está em jejum há mais tempo. São sete jogos sem vencer – 4 derrotas, 3 empates -, após a última vitória (2 x 1) sobre o Cruzeiro, na sexta rodada, dia 26 de maio, no Mineirão. A Chapecoense havia sofrido quatro derrotas como visitante, para Corinthians, Flamengo, Goiás e São Paulo, antes dos 3 x 3 com o Grêmio, que lhe valeu subir uma posição, terminando a rodada em décimo sétimo, enquanto o Cruzeiro caiu para o décimo oitavo.

Chapecoense e Cruzeiro estão iguais em tudo – pontos (10), vitórias (2), empates (4), derrotas (7) – e a vantagem da Chapecoense é só no saldo, menos 9 e o do Cruzeiro menos 11. A Chapecoense marcou 14 e sofreu 23 gols; o Cruzeiro marcou 9 e sofreu 20 gols. O próximo jogo da Chapecoense será outra vez como visitante, sábado (10), com o Ceará, no estádio Castelão, em Fortaleza. Bom lembrar: Chapecoense, desde 2014, quando subiu à Série A, e Cruzeiro nunca foram rebaixados.

128 JOGOS, 298 GOLS – Depois de Grêmio 3 x 3 Chapecoense, o Brasileirão 2019 registra 298 gols em 128 jogos, média de 2.32 gols por jogo. Os times com o mando de campo ganharam 67 jogos e os empates (34) são superiores às vitórias (27) dos times visitantes. Dos 298 gols, 133 foram marcados no primeiro tempo. 27 jogos terminaram 1 x 0 e 25 acabaram 2 x 1. Estão iguais 0 x 0 e 1 x 1, em 16 jogos. 14 terminaram 2 x 0.

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA