O Grêmio ganhou na noite desta quarta (17) o bicampeonato gaúcho ao vencer o Internacional nos pênaltis (3 x 2), depois de dois jogos sem gol. O goleiro Paulo Victor, ex-Flamengo, foi o destaque, ao defender as cobranças do meia Camilo, ex-Botafogo, do zagueiro argentino Victor Cuesta e do atacante uruguaio Nico Lopez. O meia André, que havia perdido a cobrança aos 32 do segundo tempo – o goleiro Marcelo Lomba defendeu -, converteu o pênalti que garantiu o título ao tricolor gaúcho.

Antes de André, os outros batedores do Grêmio que converteram foram o volante Mateus Henrique e o atacante Diego Tardelli. O meia Everton chutou fora e a cobrança do apoiador Michel foi defendida pelo goleiro Marcelo Lomba. Os únicos do Internacional que converteram foram os atacantes Guerrero e Rafael Sobis. Foi o Grenal 420 da história, e há 54 anos o Grêmio não era campeão gaúcho invicto. O último título sem derrota havia sido conquistado em 1965.

OS CAMPEÕES – Paulo Victor, Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Michel), Mateus Henrique, Jean Pyerre (Luan) e Alisson (Diego Tardelli); Everton e André. Técnico – Renato Gaúcho. O bicampeão Grêmio conquistou com todos os méritos o trigésimo oitavo título de campeão do Rio Grande do Sul, sendo o único time do estado que ganhou três vezes a Copa Libertadores e o primeiro Mundial de clubes, em 1983, com dois gols de Renato Gaúcho na final com o Hamburgo, da Alemanha.

PARALISAÇÃO – A tensão do clássico aumentou ainda mais na reta final quando o árbitro Jean Pierre Lima, da Federação Gaúcha, marcou com acerto o pênalti a favor do Grêmio, aos 32 do segundo tempo. O atacante Guilherme Parede, que entrou no lugar de William Pottker, no intervalo, puxou o lateral Bruno Cortez pelo calção. O árbitro de video, com a supervisão do paulista Tiago Peixoto, confirmou o pênalti, que só foi batido oito minutos depois. O goleiro Marcelo Lomba defendeu a cobrança de André.

DOIS EXPULSOS – O meia argentino D’Alessandro, que ficou o jogo inteiro no banco de reservas, foi dos que mais reclamaram do árbitro e acabou expulso. O mesmo aconteceu com o técnico Odair Hellmann, que gesticulou e gritou bastante, sendo também expulso. A torcida do Grêmio fez a festa assim que Jean Pierre Lima ergueu os braços e apitou o final. As comemorações em Porto Alegre continuaram pela madrugada desta quinta (18). O jornal Zero Hora destacou: “Paulo Victor é o nome do Grenal e do Gauchão 2019”.  Há 54 anos, desde 1965, o Grêmio não era campeão gaúcho invicto.

Foto: Divulgação Gremio