APÓS ELIMINAR O ESTUDIANTES por 1 x 0, gol do atacante mineiro Vítor Roque, de 17 anos, na noite de ontem (11), no estádio Uno, em La Plata, na Argentina, o Athletico Paranaense decidirá com o Palmeiras quem faz a terceira final brasileira consecutiva da Libertadores com o Flamengo, favorito na semifinal com o Velez.

QUANDO PARECIA QUE A VAGA seria decidida em pênaltis, com a repetição do 0 x 0 do jogo de ida em Curitiba, o Athletico venceu aos 50 minutos do 2º tempo, com o gol de Vítor Roque, na pequena área, com desvio de cabeça, ao chegar segundos antes do goleiro Andrujar, que tentou cortar o cruzamento de canhota de Vitinho. 

VITOR ROQUE, mineiro de Timóteo, a 200 km da capital Belo Horizonte, foi revelado no América, comprado do Cruzeiro, em abril, por R$24 milhões, tem contrato até maio de 2027 com o Athletico Paranaense. Está na lista da CBF entre as promessas para a Copa do Mundo de 2026, aos 21 anos, e é pouco provável que fique no Brasil.

NA PRIMEIRA SUBSTITUIÇÃO, aos 15 minutos do 2º tempo, o técnico Luiz Felipe Scolari colocou Vitor Roque no lugar do meia uruguaio Agustin Canobbio, que estava apagado. E o jovem atacante brilhou, como na virada (3 x 2) do último domingo (7) sobre o Atlético, no Mineirão, quando marcou dois gols em 10 minutos.

SERÁ A 6ª SEMIFINAL do técnico Scolari, que tentará o terceiro título, após os de 1996 e 2018, o que o levou a sorrir e a dizer após a classificação: “Meu coração era azul (Grêmio, campeão em 96), ficou verde (Palmeiras, campeão em 2018), e agora é preto e vermelho” (Athletico Paranaense, com chance do título de 2022).

ÚLTIMO TÉCNICO CAMPEÃO DO MUNDO (2 x 0 na Alemanha, na final de 2002), Luiz Felipe Scolari, encerrará a carreira em novembro, quando completa 74 anos (dia 9),  e diz que para de vez, atendendo à família, e agradecendo o convite do Athletico Paranaense, que o quer como diretor geral do futebol do clube a partir de 2023.

A VITÓRIA SOBRE O ESTUDIANTES, na noite de ontem (11), foi a 25ª de Scolari em 48 jogos na Libertadores, sempre passando das quartas de final. Ele superou o técnico argentino Carlos Bianchi, semifinalista cinco vezes, e quatro vezes campeão, no Velez (1994) e no Boca (2000, 2001, 2003), ganhando o apelido de Senhor Libertadores.

O TRIO DE ARBITRAGEM DE Estudiantes 0 x 1 Athletico Paranaense representará o Uruguai na Copa do Mundo de 2022. O árbitro Andrés Matonte, de 34 anos, e seus assistentes Martin Soppi e Mathias Taran tiveram boa atuação. Com ajuda do VAR, Matonte anulou gol de Morel, por atrapalhar a visão do goleiro Bento, e validou o gol do Athletico, quando os argentinos alegavam toque de mão.

BOM LEMBRAR: o Athletico pode voltar a ser finalista após 17 anos, quando perdeu a decisão de 2005 para o São Paulo por 4 x 0, gols de Amoroso, Fabão, Luizão e Tardelli, no Morumbi, depois de 1 x 1 no jogo de ida, no Beira Rio, em Porto Alegre, porque seu estádio não tinha a capacidade mínima exigida de 40 mil lugares. Foi a primeira Libertadores decidida por brasileiros, com técnicos cariocas, Paulo Autuori, do São Paulo, e Antonio Lopes.

O ATHLETICO DISPUTARÁ o primeiro jogo da semifinal com o Palmeiras, dia 30, em Curitiba, e o jogo de volta, dia 6 de setembro, em São Paulo. Velez e Flamengo farão o jogo de ida dia 1, em Buenos Aires, e dia 7, no Maracanã. O jogo único da decisão será no sábado, 29 de outubro, no Estádio Monumental de Guaiaquil, no Equador.

Foto: Gazeta Esportiva