Escolha uma Página

Bem acima do espanhol Pep Guardiola, do Manchester City, bicampeão inglês, e do português José Mourinho, do Tottenham, o argentino Diego Simeone, que comemora os 50 anos, hoje, 28 de abril de 2020, é o técnico mais bem pago do mundo, desde 27 de dezembro de 2011, quando assinou o primeiro contrato com o Atlético de Madrid, em que foi meio-campo em 145 jogos, entre 94-97 e 2003 e 2005.

VALORES – Simeone ganha no Atlético de Madrid 3.600 mil euros por mês, o que corresponde a quase R$19 milhões, e o clube assume o pagamento dos impostos, que chegam a 51% por ano. No mercado inglês, onde o imposto fica de 40% a 45%, Guardiolarecebe do Manchester City 1.900 mil euros (R$10 milhões), e Mourinho, 1.400 mil euros (R$7 milhões), mas sem o benefício do imposto por conta do clube.

CONCEITO – O Atlético de Madrid é o terceiro clube europeu de Simeone, desde os 76 jogos e 14 gols do início da carreira de meio-campo no Velez Sarsfield, de Buenos Aires, onde nasceu em 28/4/70. Jogou no Pisa, da Itália,e do Sevilha saiu para o Atlético de Madrid, com 25 gols em 99 jogos, de 94 a 97. Desde logo se tornou idolatrado pela determinação e raça. Jogou na Inter de Milão, mas foi na Lazio, de Roma, onde fez mais jogos: 127, com 18 gols.

TÉCNICO – Simeone iniciou como técnico no Racing, de Buenos Aires, clube do coração, em 2006, após as duas últimas temporadas como jogador. Dirigiu Estudiantes, River e San Lorenzo, antes de sair em 2011 para o Catania. No mesmo ano, voltou a dirigir o Racing e retornou à Espanha, a convite do Atlético de Madrid. Está em sua terceira renovação de contrato e a próxima deverá ser em 2022.

TÍTULOS – Simeone ganhou no Atlético o campeonato espanhol e a Copa do Rei 95-96. Na Inter, a Copa Uefa 97. Na Lazio, três títulos em uma temporada (1999-2000): campeonato italiano, Copa da Itália e Supercopa da Itália. Na seleção argentina, duas vezes a Copa América, 91 e 93, e a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1996 em Atlanta. Participou das Copas do Mundo de 94, 98 e 2002.

MODELOS – Um dos três filhos do primeiro casamento de Simeone, com a modelo Carolina Baldíni, de 94 a 2014, é o meia Giovanni, de 24 anos, emprestado pela Fiorentina ao Cagliari. O técnico campeão espanhol 2015-16, casou-se pela segunda vez, com outra modelo, a argentina Carla Pereyra, de 27 anos. Por enquanto, dizem que estão curtindo bem a vida, mas o primeiro filho não deve demorar muito tempo a chegar. 

APELIDO – Simeone é tratado por todos no Atlético de Madrid pelo apelido que ganhou da mãe: Cholo, que no idioma espanhol significa mestiço. Cholo, que se chamava Carmelo Simeone,era um lateral-direito mestiço, que jogou no Boca, e de quem Laura, mãe de Diego Simeone era fã, embora só o “conhecesse” das transmissões do rádio. Simeone não viu Cholo jogar, mas gosta de ser tratado pelo apelido.

Foto: Notícias ao Minuto, Clarin e Twitter