O VASCO REGISTROU 50 MIL presenças no adeus a Roberto Dinamite, seu maior ídolo e artilheiro, nos dois dias do velório no estádio de São Januário, de onde o corpo saiu em caminhão dos Bombeiros para o cemitério de Nossa Senhora do Belém, no bairro do Corte 8, em Duque de Caxias, na tarde desta 3ª feira (10). 

SOB APLAUSOS E CHORO de torcedores, que não resistiram à emoção, o corpo de Roberto Dinamite foi sepultado pouco antes das 15 horas, no jazigo da família, ao lado da mãe Neuza e do pai José, que o criaram no bairro de São Bento. A Câmara Municipal de Duque de Caxias prestará homenagem ao ídolo do município.

UM DOS MOMENTOS mais emocionantes da despedida foi registrado no final da missa. O filho Rodrigo iniciou o grito de Casaca, tradicional dos torcedores nas grandes vitórias do Vasco, e em seguida o hino do clube, que muitos cantaram chorando, como em tantos dos 708 gols que Roberto Dinamite marcou.

OUTRO MOMENTO DE EMOÇÃO vivido pela família de Roberto Dinamite foi nas alamedas do cemitério. Os torcedores fizeram um corredor de honra para que a esposa e os filhos passassem com o caixão, e gritaram várias vezes o nome do ídolo. Muitos lembraram Roberto como “figura simples, humilde e de muita bondade”.

O PRÓPRIO PRESIDENTE DO VASCO não se sentiu bem nos últimos momentos da despedida. Jorge Salgado, de 73 anos, figura que desfruta de muito prestígio no mercado financeiro, disse que “o clube saberá encontrar a melhor maneira de imortalizar o artilheiro no número 10 da camisa”.

ROBERTO DINAMITE e Romário jogaram juntos pela primeira vez em 6 de fevereiro de 1985, dirigidos por Edu Coimbra, irmão mais velho de Zico, que esteve no velório e também publicou mensagem de muito pesar: “Roberto e eu sempre fomos apenas adversários, mas sempre nos respeitamos e nos tratamos muito bem”.

NA ESTREIA DE ROMÁRIO, que não fez gol, o Vasco venceu o Coritiba por 3 x 0, com dois gols de Roberto Dinamite e um gol do volante Vítor. Dinamite já era titular absoluto e Romário entrou aos 13 minutos do 2º tempo, substituindo Mario Tilico. Romário elegeu-se deputado federal em 2010, último ano de Roberto deputado estadual.

Fotos: Daniel Ramalho / Vasco / Diário do Rio / EBC / O Estado de Rondônia / Divulgação