Alegra-me registrar os 54 anos hoje, 8 de maio de 2020, de Taffarel, um dos bons goleiros  que vi na seleção, desde a estreia, em 7 de julho de 88, no 1 x 0 na Austrália, no estádio Olímpico de Melbourne, na Copa de Ouro do Bicentenário da Austrália, que o Brasil ganhou, à despedida, em 12 de julho de 1988, que o Brasil perdeu (3 x 0) para a França, na final de sua terceira e última Copa do Mundo.

TAFFAREL foi marcante na primeira Copa do Mundo decidida em pênaltis, após o 0 x 0 com a Itália, na final de 17 de julho de 94, no estádio Rose Bowl, na Califórnia. Ele defendeu a sétima das nove cobranças, do atacante Daniele Massaro, dando chance ao capitão Dunga decidir o título na penúltima, de vez que Roberto Baggio isolou a última, chutando por cima.

REPETECO – Único dos goleiros brasileiros a defender pênalti em final de Copa, Taffarel também levou a seleção à decisão de 98, defendendo as cobranças de Phillip Cocu Ronald de Boer, na semifinal de 4 x 2 na Holanda, após 1 x 1  em 7 de julho, no estádio do Velódromo, na bela cidade portuária de Marselha, no agradável Sul da França.

DESDE SUB 20 – Taffarel foi o único goleiro campeão mundial sub 20, em 1985, na Rússia, a sofrer só um gol em sete jogos, nos 2 x 1 da estreia com a Irlanda, e defendeu um pênalti nos 2 x 0 na Nigéria, na semifinal. Nos outros jogos, 1 x 0 na Arábia Saudita, 6 x 0 na Colômbia e três vitórias sobre a Espanha, 2 x 0, 1 x 0 e outro 1 x 0 na final de 7 de setembro em Moscou.

RECORDISTA – Taffarel é o recordista de jogos com a camisa da seleção principal: 113, de 7/7/88 a 12/7/98, com 18 jogos consecutivos em três Copas do Mundo. Detém também o recorde de jogos (25), em cinco edições da Copa América: 89, 91, 93, 95 e 97, campeão na primeira e na última. Figurou 8 vezes entre os 10 melhores do mundo em cinco anos.

697 JOGOS – Em 18 anos – 1985 a 2003 -, Taffarel disputou 697 jogos, entre clubes e seleção. Única tristeza: a de não ter sido campeão no Internacional, em 252 jogos, entre 1985 e 1990. De 90 a 93, no Parma, foi o primeiro goleiro brasileiro na Itália, em todos os 34 jogos dos campeonatos de 90-91 e 91-92. Voltou em 2001, aos 37 anos, e ganhou a Copa Itália 2001-2002. Tenho na coleção a camisa do Parma, que Taffarel me ofereceu na Copa de 94.

OUTRO PÊNALTI – Na temporada 93-94, Taffarel foi emprestado pelo Parma à Reggiana – separados por 27 km, na bela Reggio Calábria, na linda região da costa Sul da toda e sempre bela Itália. Taffarel ajudou a Reggiana a se manter na Série A, ao defender um pênalti na vitória (1 x 0) sobre o Milan, em pleno San Siro, na última rodada.

O MAIS CARO – Em 1995, Taffarel foi comprado do Parma, por 1 milhão e 300 mil, reais pelo Atlético Mineiro, tornando-se o goleiro mais caro do Brasil. Um delírio em sua chegada a Belo Horizonte, com carreata, trio elétrico e festa de mais de quatro horas, com 30 mil torcedores. Na estreia, em amistoso, 3 x 2 no Flamengo, em 10/2/95. Na despedida do campeonato de 98, 2 x 0 na Caldense. Taffarel é o quarto goleiro com mais jogos pelo Atlético: 191.

TÍTULO INÉDITO – Taffarel levou os torcedores do Galatasaray, time mais popular da Turquia, ao maior delírio da história do clube. O rei do pênalti defendeu as cobranças do senegalês Patrick Vieira e do croata Davor Suker, artilheiro da Copa de 98, e o time foi campeão da Copa da Uefa, pela primeira vez, em 2000 – 4 x 1 nos pênaltis -, após 0 x 0 em 120 minutos. Taffarel fez 129 jogos, de 98 a 2001, no Galatasaray.

OUTRO RECORDE – Taffarel entrou na história dos notáveis do Galatasaray, que bateu o recorde do futebol turco, com quatro títulos em um ano: campeão turco; da Copa da Turquia; da Copa Uefa e da Supercopa da Europa. Taffarel voltou em 2011 como treinador de goleiros e recordou muito a final histórica de 2000, no estádio Parken, em Copenhague, capital da Dinamarca. 

GRANDE SUCESSOR – Ele nasceu Claudio André Mergen Taffarel, em 8 de maio de 1966, no hospital de Tuparendi, na época município de Santa Rosa, que o reivindica como filho, mas os de Crissiumal, a 496 km da capital Porto Alegre, também querem a paternidade.

TAFFAREL foi sucessor de dois dos maiores goleiros da história do Internacional: Manga, bicampeão brasileiro 75-76, e o paraguaio Benitez. Taffarel está no Hall da Fama do futebol brasileiro, ao lado de outros notáveis: Pelé, Romário, Ronaldo e Zico.

Fotos: CBF, Imortais do Futebol, A Crítica, Agencia AFP, Trivela, Gramho.com e Pinrest.