Escolha uma Página

MESSI FOI APLAUDIDO DE PÉ por 2.500 convidados especiais, ao receber a oitava Bola de Ouro, na noite de ontem (30), no Teatro Chatelet, um dos pontos culturais mais importantes de Paris, inaugurado em 1862. Ao lado da esposa Antonella Roccuzzo, e dos filhos Tiago (11), Mateo (8) e Ciro (5), o craque de 36 anos iniciou o agradecimento dizendo: “Esta Bola de Ouro é um grande presente para toda a Argentina e divido com meus companheiros e torcedores”.

MELHOR DA COPA DE 2022, primeira que ganhou como capitão do terceiro título mundial da Argentina, Messi foi também aplaudido ao citar Maradona, campeão do mundo de 1986, que completaria 63 anos (30/10/1960 – 25/11/2020): “Penso que não há lugar nem momento melhor do que este para parabenizá-lo”. Messi também fez previsão sobre o inglês Haaland e o francês Mbappé, artilheiros do City e do PSG: “Eles serão os vencedores das próximas Bolas de Ouro”.

MESSI GANHOU a Bola de Ouro de 2023, basicamente pela Copa de 2022, e pelos 42 jogos, 22 gols e 9 assistências, ainda que Haaland, em sua primeira temporada no City, tenha feito 52 gols em 53 jogos. Mbappé ficou em terceiro. Messi bateu o recorde das 67 edições da Bola de Ouro, ao ganhar quatro consecutivas, em 2009-10-11-12, e 2015, 2019, 2021 e 2023. E ganhou também cinco Bolas de Prata, em 2008, 2013-14, 2016-17, e a primeira Bola, de Bronze, em 2007.

ATÉ MAIS DO QUE MESSI, quem se emocionou ao subir ao palco para entregar a oitava Bola de Ouro ao craque argentino foi o ex-meia David Beckham, de 48 anos, único inglês campeão em quatro países: Manchester United (394 jogos, 86 gols), Real Madrid (159 jogos, 20 gols), Los Angeles Galaxy (124 jogos, 20 gols) e PSG, onde encerrou a carreira em 2012-2013, sem marcar gol em 14 jogos. Beckham é dono do Inter Miami, onde Messi está jogando.

PELA PRIMEIRA VEZ, desde 2003, Cristiano Ronaldo esteve fora da lista de premiados, depois de ganhar a Bola de Ouro cinco vezes, no auge da carreira no Real Madrid. O atacante português de 38 anos, hoje no Al-Nassr, da Arábia Saudita, foi o segundo, depois do argentino Alfredo Di Stefano, maior ídolo da história do Real Madrid, a marcar 13 gols nos 13 primeiros jogos, nos anos 50-60, ambos alcançados em 2023 pelo inglês Jude Bellingham, de 20 anos.

VINICIUS JUNIOR GANHA PRÊMIO SÓCRATES

O PRÊMIO SÓCRATES, criado em 2022, em homenagem ao ex-meia da seleção brasileira, que liderou a Democracia Corintiana e o movimento contra o golpe militar de 31 de março de 1964, foi ganho por Vinícius Junior. O atacante de 23 anos do Real Madrid desenvolve projeto social para jovens, através do esporte e da tecnologia, no Instituto com seu nome, em São Gonçalo, município da região metropolitana do Rio de Janeiro, onde nasceu.

EMOCIONADO, Vinicius Junior aproveitou a oportunidade para reforçar a campanha contra o racismo, em que tem sido o maior alvo do Real Madrid, nos jogos dos estádios da Espanha: “Saí da favela e é um sonho estar aqui em noite tão alegre e feliz, ao lado de alguns dos melhores do mundo”. O senegalês Sadio Mané, hoje no saudita Al-Nassr, foi o primeiro a receber o prêmio Sócrates, pelo trabalho social que desenvolve em todas as cidades do Senegal.

O GOLEIRO Emiliano Martinez, de 31 anos, do inglês Aston Villa e da seleção argentina, ganhou a Luva de Ouro, prêmio Yashin, criado para homenagear o notável goleiro russo das Copas de 1958, 1962 e 1966, único goleiro a ser premiado com a Bola de Ouro e considerado o melhor da história do futebol mundial.

MEIO-CAMPISTA de 25 anos, a espanhola Aitana Bonmatí ganhou o prêmio de melhor do mundo pelo título de campeã da Europa pelo Barcelona e da Copa de 2023. O futebol feminino espanhol foi premiado pelo terceiro ano consecutivo, depois de Alexia Putellas, também do Barcelona e da seleção, ter sido a vencedora em 2021 e 2022. Por sua vez, o inglês Haaland, do City, foi premiado com o Troféu Gerd Muller de melhor atacante.

Fotos: Divulgação e CNN Brasil