INAUGURADO NO DOMINGO, 19 DE SETEMBRO DE 1926, no amistoso em que a Inter venceu o Milan por 6 x 3, o mítico estádio de San Siro ainda será palco, um século depois, da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Milão e Cortina d’Ampezzo, em 2026. A partir de então, poderá ser demolido ou mantido como um dos monumentos históricos da Itália, que cultiva e preserva suas obras, como o Coliseu de Roma, o maior símbolo do Império Romano.

ESTÁ APROVADO O PROJETO PARA A CONSTRUÇÃO do novo estádio de Milão, que até já ganhou nome: A Catedral. O projeto é da Populos, empresa americana de arquitetura, que já construiu os estádios do Benfica, Manchester City, Arsenal, Wembley, Olímpico de Sydney e Arena das Dunas, em Natal, uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. A inauguração está prevista para 2026, provavelmente com o clássico da cidade: Milan x Internazionale.

COBRI EM SAN SIRO, NA NOITE DA 4ª FEIRA, 31 de outubro de 1990, o amistoso em que a seleção brasileira, então dirigida por Paulo Roberto Falcão, homenageou Pelé, que uma semana antes havia completado 50 anos. O jogo foi com uma seleção do Resto do Mundo, dirigida por Franz Beckenbauer, e que teve, entre outros, o goleiro argentino Sergio Goycochea; a zaga formada pelo brasileiro Julio Cesar, da Juventus, e pelo uruguaio Hugo de Leon, do Nacional.

A MAIORIA DOS 75 MIL TORCEDORES ERA DE JOVENS, que não tinham visto o Milan vencer o Santos por 4 x 2, no primeiro jogo da decisão do Mundial de clubes, em outubro de 63, e foram conhecer Pelé. O espanhol Michel, do Real Madrid, fez 1 x 0, e o Brasil só não empatou porque o ponta Rinaldo, do Fluminense, deixou de dar o passe a Pelé, livre, preferindo isolar a bola. Poucas vezes, um jogador foi tão vaiado. Pelé, como estava combinado, não voltou do intervalo.

O BOM ATACANTE ROMENO GHEORGE HAGI, campeão no Real Madrid e no Barcelona, artilheiro da Liga dos Campeões 87-88, fez o 2º gol do Resto do Mundo aos 4 do 2º tempo, e o bom meia canhoto Neto, do Corinthians, que substituiu Pelé, fez o gol de falta aos 15. Na seleção, o lateral Leonardo, hoje diretor do PSG; o meia Bismarck, então no Vasco; a zaga Paulão e Adilson Batista, hoje técnico; o estreante Cesar Sampaio, do Palmeiras, e o botafoguense Valdeir.

BOM DIZER – O futuro estádio será A Catedral, homenageando a sede da Arquidiocese de Milão, uma das mais célebres edificações em estilo gótico da Europa, com 45 metros de altura, 157 metros de comprimento e 109 metros de largura, na Piazza del Duomo, no Centro histórico de Milão. Paulo Scaroni, de 75 anos, ex-presidente do Milan e atual presidente da Câmara Municipal de Milão, garante: “Poderá não ser o maior, mas A Catedral será o mais belo estádio do mundo”.

Foto: ESPN / Ingresso: acervo Deni Menezes