Escolha uma Página

Quando o polonês Robert Lewandowski terminou o campeonato alemão com 31 gols, comemorando o oitavo título consecutivo do Bayern Munique, poucos poderiam imaginar que deixaria de ser dele, pela primeira vez, a Chuteira de Ouro de 2019-2020 de artilheiro da Europa. Cristiano Ronaldo estava na cola, só com menos três gols, em plena ascensão da Juventus, na rota certa do nono título italiano, que ganhou faltando seis rodadas. Mas a fonte secou e o artilheiro português não marcou em quatro jogos.

A ZEBRA – Quem corria por fora, mesmo depois que a Lazio despencou da liderança para o quarto lugar, era um italiano, que chegava ao gol em linha reta e passou a balançar as redes, dentro e fora de Roma, como fizera em temporadas anteriores. Ciro Immobile é o nome dele, desde ontem, primeiro sábado de agosto, artilheiro do Campeonato Italiano, igualando o recorde de 36 gols do argentino Higuain em 2015-2016, por muita coincidência, no mesmo estádio San Paolo.

HIGUAIN bateu o recorde de 36 gols, em 14 de maio de 2016, no estádio San Paolo, quando jogava no Napoli, com três gols em vinte minutos, no segundo tempo, nos 3 x 0 no Frosinone. Três meses depois, o recorde era outro: a Juventus pagou por ele 90 milhões de euros, valor até então não registrado nas transações do Calcio (futebol, em italiano). Artilheiro com 22 gols em 2013-14 pelo Torino e com 29 gols em 2017-18 pela Lazio, Ciro Immobile perdeu o jogo (Napoli 3 x 1), mas terminou artilheiro e com  a  Chuteira de Ouro.

MAIS GOLS – Ciro Immobile, de 29 anos, terceiro italiano a ganhar a Chuteira de Ouro, é de Torre Annunziata, a 27 km de Napoli. Seus 36 gols, superando Lewandowski com 34 e Cristiano Ronaldo com 31, em 2019-20, estão acima dos 26 gols que Francesco Totti marcou em 2006-07 pela Roma, e dos 31, que Luca Toni fez em 2005-06 pela Fiorentina. Vale dizer: Cristiano Ronaldo não jogou na derrota de ontem (1) para a Roma (3 x 1), poupado para sexta (7), quando a Juventus decidirá a vaga nas quartas com o Lyon, precisando de dois gols, após perder (1 x 0) o jogo de ida na França.

Foto: Esporte Interativo