Avacalhar o campeonato de tanta tradição, com a pressa do Flamengo e a carona do Vasco na viagem a Brasília, de onde partiu a pressão, algo inaceitável; recomeçar o campeonato no auge da pandemia, contrariando decisão das autoridades sanitárias mundiais, com jogos ao lado de um hospital de campanha, algo irresponsável; dar tratamento desigual a dois filiados, por terem posição contrária, algo próprio de uma política sem nível, bem rasteira.

A FEDERAÇÃO DE FUTEBOL do Estado do Rio de Janeiro entrou na Justiça contra Botafogo e Fluminense, opositores ao reinício do campeonato, como todos de bom senso, pedindo indenização de 100 mil reais por danos morais e multa de 1 milhão de reais, em caso de descumprimento. O fecho do parágrafo, em termos de concordância, é uma pérola: “A manifestação conjunta dos réus  transcenderam o direito à liberdade e manifestação de pensamento”.  E ainda repetindo palavra, ignorando sinônimo.

OS QUE ZELAM PELA LÍNGUA PORTUGUESA, tão maltratada por alguns, como no caso pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, esperam, e não com pouca expectativa, que receba a indenização. Uma pequena parte dos valores já será suficiente para pagar a um professor, que ensine o uso da concordância. Bem melhor do que expor falta de preparo para redigir corretamente uma nota. Mestre Aurélio agradece.