A dez dias de completar dois meses internado, desde 25 de março, depois do teste positivo do coronavírus, o médico Clóvis Muñoz, de 68 anos, 25 dedicados ao Vasco, não segurou a emoção, ao gravar ontem (15) um vídeo de agradecimento a todos os amigos, que não são poucos, que continuam torcendo muito por sua recuperação completa.

52 DIAS – Após 52 dias no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), inspirando muitos cuidados, o médico passou à unidade semi-intensiva do hospital. Em menos de uma semana, levantou da cama, com o apoio dos fisioterapeutas, que o puseram de pé, e conseguiu, com a ajuda do andador, dar um giro em torno do próprio corpo. 

CREB – No vídeo, em gravação pausada e com voz firme, o Dr.Clóvis Munhoz agradeceu a todas as mensagens: “É uma felicidade, depois de tanto tempo deitado, poder voltar a sentar e a andar com a ajuda dos fisioterapeutas. Estendo meu agradecimento a todos os amigos e aos colegas do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo -, pelo grande apoio.

MUDANÇA – “A vida é feita de escolhas e eu escolhi sair” – frase do oncologista Nelson Teich, carioca de 63 anos, que pediu demissão do cargo de ministro da Saúde, ontem (15), por não concordar com o presidente da República no uso de cloroquina no tratamento da Covid-19 nem com a quebra do isolamento social, como insiste Jair Bolsonaro.

824 CASOS – No dia da saída do segundo ministro da Saúde, os casos fatais no Brasil aumentaram, pelo terceiro dia, para 824 em 24 horas. Já são 218.223 contaminados e 14.817 óbitos no país. O total no mundo é de 4.523.916 casos de contaminação e de 306.412 mortes, de acordo com o último boletim da noite de ontem (15).

O ex-ministro Nelson Teich, aos 17 anos, campeão carioca infanto-juvenil de futsal, em
1974, pelo Sport Club Mackenzie, do Meier. Em pé, em destaque no círculo.

GOLEIRO – Poucos sabem: ministro de 17 de abril a 15 de maio, o carioca Nelson Teich nasceu e foi criado na Rua Pedro de Carvalho, no Meier, bairro tradicional da Zona Norte. Na juventude, Teich – que se pronuncia Táichi, por ser de origem alemã -, foi goleiro tricampeão carioca e brasileiro de futsal pelo Sport Club Mackenzie, da Dias da Cruz, a principal rua do Meier.

Fotos: Divulgação e Arquivo Pessoal.