Brasília, 19 de maio de 2020 -Flavio Bolsonaro com a camisa do Vasco, ao lado do presidente Alexandre Campelo; o presidente Jair Bolsonaro com a nova camisa do Flamengo, ao lado presidente Rodolfo Landim, e o diretor de marketing Alecsander Santos.

Enquanto a pandemia do novo coronavírus continua em aceleração no Brasil, com novos recordes de contágios e mortes a cada dia, Flamengo e Vasco, na contramão da gravidade do problema, continuam insistindo no recomeço urgente do futebol. A estupidez dos dois clubes passou do limite! Será que seus presidentes estão em estado normal ?

NOVO RECORDE – Com 27.805 casos confirmados, de acordo com o último boletim da noite de ontem (19), o Rio de Janeiro, onde Flamengo e Vasco estão em desespero para que a bola volte a rolar, registrou 227 mortes nas últimas 24 horas. O total de casos é assustador, ao se aproximar de 30 mil, mas parece insuficiente para tocar na sensibilidade dos dois clubes.

POSITIVOS – O Flamengo registrou casos positivos nos testes dos jogadores. Não é crível que o médico do clube, que acompanhou os presidentes na visita de ontem (19) a Brasília, possa ter escrito no Instagram: “Demos um passo curto, mas que pode ser bem maior em futuro próximo”. Só pode ser visto como submissão de um despreparado.

CONTRAMÃO – Além do mais, o médico do Flamengo se coloca na contramão da orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem insistido no isolamento social. De acordo com os especialistas, a maneira mais eficiente para evitar a propagação da pandemia do novo coronavírus. O médico mostra estar alinhado ao pensamento de Brasília.

PROTOCOLO – O presidente da República, que ganhou e vestiu logo a nova camisa do Flamengo, já falou com o ministro da Saúde para preparar um protocolo, que trate com urgência do reinício do futebol, para atender à pressa do Flamengo e do Vasco. Menos de um ano e meio depois da maior tragédia de sua história, o Flamengo não aprendeu a lição.

Foto: Reprodução Instagram