Escolha uma Página

O CHELSEA, CAMPEÃO DA EUROPA, DEVE CONFIRMAR O FAVORITISMO na semifinal de hoje (9), com o Al-Hilal, campeão da Ásia, e voltar a decidir o Mundial de clubes com outro paulista, o Palmeiras, bicampeão sul-americano, 12 anos depois de perder a final de 2010 para o Corinthians. A versão 2022 é a final tão esperada entre o verde e o azul. O Palmeiras venceu com autoridade o Al-Ahly, do Egito, campeão da África, por 2 x 0, gols de Raphael Veiga e Dudu.

PRIMEIRO BRASILEIRO CAMPEÃO DO MUNDO, com a Copa Rio de 1951, no Maracanã, o Palmeiras pode voltar, 71 anos depois, a ganhar o título, reconhecido em 2014 pelo Comitê Executivo da FIFA. Com isso, ficaria com dois Mundiais de clubes, igualando-se ao Santos e ao Corinthians, e só com menos 1 título que o São Paulo, único brasileiro três vezes campeão. O Palmeiras pode também fazer do futebol brasileiro o recordista de títulos mundiais de clubes.

BRASIL E ESPANHA ESTÃO EMPATADOS COM 11 TÍTULOS, sendo o Real Madrid o maior campeão com 7, seguido do Milan e do Bayern Munique com 4. Na sequência, com 3 títulos, o São Paulo; os uruguaios Nacional e Peñarol; a Inter de Milão e o Barcelona. Nove vezes campeã, a Argentina tem o recorde de 13 vice-campeonatos; a Itália, também 9 vezes campeã, tem seis vice-campeonatos. 29 clubes de 11 países são reconhecidos pela FIFA como campeões do mundo.

PRIMEIRO TÉCNICO EUROPEU, BICAMPEÃO DA LIBERTADORES, o português Abel Ferreira, de 43 anos, pode ser também o primeiro europeu campeão do mundo com uma equipe brasileira. O título mundial de 1951 do Palmeiras, foi o único dos 11 do futebol brasileiro sob o comando de um estrangeiro, o uruguaio Ventura Cambon, então aos 47 anos. O Palmeiras foi seu único clube como técnico, em 294 jogos, entre 1935, ainda Palestra Itália, e 1957.

MEIA DE RARA HABILIDADE, COMO TODO CANHOTO, Ventura Cambon só jogou no Peñarol Universitário, e em 29 de abril de 1928, marcou os gols do amistoso com o então Palestra Itália (2 x 2). O Palmeiras o contratou e foi tricampeão paulista em 32-33-34. Assumiu como técnico em 35, foi campeão paulista em 44 e 50, e campeão do Rio-São Paulo e da primeira Copa Rio, o Mundial de clubes, em 51, com 1 x 0 e 2 x 2, no Maracanã, com a Juventus, campeã da Europa.

BOM LEMBRAR – O Santos, 1º brasileiro bicampeão mundial em 62-63, foi dirigido por Luis Alonso Perez (Lula), técnico mais vitorioso da história de 109 anos do clube, com 38 títulos, 771 vitórias em 949 jogos. O São Paulo, bicampeão em 92-93, com Telê Santana, e campeão em 2005 com Paulo Autuori. O Corinthians, campeão do primeiro Mundial de clubes organizado pela FIFA, em 2000, com o carioca Oswaldo de Oliveira, e campeão em 2012, com Tite.

OS CAMPEÕES DE UM TÍTULO, o gaúcho Paulo Cesar Carpegiani, único da história do Flamengo, campeão da Libertadores e do Mundial de clubes em 1981; o gaúcho Valdir Espinosa, campeão mundial com o Grêmio em 1983, e o carioca Abel Braga, campeão mundial com o Internacional em 2006.

Foto: 90 min