Benfica e Porto, os maiores campeões do futebol português, iniciam agosto decidindo amanhã (1) a edição histórica da octagésima Taça de Portugal, no Estádio Cidade de Coimbra, a 210 km de Lisboa e a 124 km do Porto. É a décima final do Benfica, 26 vezes vencedor, a última em 2016-17, e a décima quarta final do Porto, 16 vezes vencedor, a última em 2010-11.  Artur Dias, de 41 anos, natural de Vila Nova de Gaia, poliglota e administrador de empresas, árbitro de Portugal na Copa do Mundo de 2018, terá como assistentes na grande final Rui Licínio e Paulo Soares.

81 ANOS – Criada na temporada 1938-39, a Taça de Portugal sucedeu o Campeonato Português – 1921 – 1938 -, hoje denominado Primeira Liga, e o primeiro campeão foi o time da Acadêmica de Coimbra, vencendo (4 x 3) o Benfica, em 26 de junho de 1939, no Campo das Salésias, do Belenenses. Depois, durante muitos anos, a final da Taça de Portugal foi no belo Estádio Nacional do Vale do Jamor, sempre com o presidente da República assistindo e entregando a taça ao capitão.

BRASILEIROS – Oto Glória, carioca da Tijuca, divide oito títulos com o português José Maria Pedroto, campeão duas vezes no Boavista e no Porto, e Oto, campeão três vezes no Benfica e uma vez no Belenenses, os maiores vencedores. Mais três técnicos brasileiros ganharam a Taça de Portugal: Yustrich, em 55-56, no Porto; Oto Bumbel, em 57-58, no Porto, e o ex-zagueiro Marinho Peres, em 88-89, no Belenenses. Bom lembrar sempre: Oto Glória levou Portugal à melhor colocação em Copa do Mundo, terceiro lugar, em 1966.

HISTÓRICAS – O recordista Benfica, com 26 títulos em 10 finais, detém a maior goleada de uma final da Taça de Portugal: 8 x 0 no Estoril, em 1943-44. A final com mais gols foi Benfica 5 x 4 Sporting, em 1951-52. O Benfica foi o primeiro e até hoje único a ganhar quatro vezes consecutivas. Segundo com mais títulos (17), o Sporting de Lisboa, atual campeão, ganhou a Taça de Portugal 2018-19, ao vencer o Porto (5 x 4, nos pênaltis, 2 x 2 no tempo normal). 

140 TIMES – A edição 80 da Taça de Portugal, que Benfica e Porto decidem amanhã (1), teve a participação de 140 times de todas as divisões, em fases eliminatórias. Pela primeira vez, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a final não será no Estádio Nacional, mas no Estádio Cidade de Coimbra. Marcelo Rebelo de Sousa, lisboeta de 71 anos, presidente da República e professor catedrático de Direito, entregará a taça ao capitão, ao lado de Fernando Gomes da Silva, de 68 anos, economista e empresário, natural de Cedofeita, área estudantil em franca ascensão no Porto.

Foto: Benfica