Ainda na disputa do título de campeão brasileiro, que seria o primeiro e mais importante da sua carreira de técnico, após duas eliminações consecutivas, na Copa do Brasil e na Copa Libertadores, Rogério Ceni pode ser o treinador a conseguir manter a defesa do Flamengo, sem sofrer gol em dois jogos consecutivos, no menor número de jogos. A marca poderá ser conseguida no Fla-Flu da próxima quarta (6), primeiro de 2021 e de sua história, pela vigésima oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

ROGÉRIO CENI completará 11 jogos no Fla-Flu, com o retrospecto de quatro vitórias, quatro empates e duas derrotas – 2 x 1 e 3 x 0 – para o São Paulo, em que o Flamengo foi eliminado da Copa do Brasil, completando sete anos sem o título da segunda competição mais importante do futebol brasileiro, que ganhou pela última vez em 2013. As vitórias foram sobre o Coritiba (3 x 1), Botafogo (1 x 0), Santos (4 x 1) e Bahia (4 x 3), e os empates (1 x 1) com Racing, duas vezes, e Atlético Goianiense, e 0 x 0 com o Fortaleza, no último jogo de 2020. Bom lembrar: Ceni assumiu em 10 de novembro, após a demissão do espanhol Torrent.

MARCELO SALLES, carioca de 42 anos, sem projeção como técnico, destacou-se como assistente, função que desempenhou no Flamengo, de 2005 a 2010, e que voltou a exercer, nove anos depois, no retorno ao clube. Em maio de 2019, após Abel Braga renunciar, Marcelo Salles foi técnico interino, até o português Jorge Jesus assumir, e tornou-se o primeiro a fazer com que o Flamengo não sofresse gol em três jogos consecutivos: 2 x 0 no Fortaleza e no CSA, e 0 x 0 no Fla-Flu.

BOM LEMBRAR – Dez anos antes de ser o primeiro treinador, ainda que como interino, a conseguir fazer a defesa do Flamengo não sofrer gol em três jogos consecutivos, Marcelo Salles foi assistente de Andrade, técnico campeão brasileiro de 2009, depois de ter sido três vezes campeão brasileiro pelo clube como jogador do único time da história do Flamengo, campeão brasileiro, da Libertadores e Mundial de clubes no mesmo ano (1981). Bom dizer: Marcelo Salles é filho de Marco Antonio, lateral campeão no Fluminense, e na seleção, na Copa do Mundo de 70.

JORGE JESUS, que em 2019 não ganhou apenas a Copa do Brasil e o Mundial de clubes, só conseguiu manter o Flamengo, sem sofrer gol em dois jogos consecutivos, depois de 12 jogos, quando o time venceu (2 x 0) o Internacional, no Maracanã, e o Fortaleza (3 x 0), então dirigido por Rogerio Ceni, na Arena Castelão. Bom lembrar: um dos gols, o de Arrascaeta, concorreu ao prêmio Puskas de gol mais bonito do ano.

A MEU JUÍZO, muito acima do recorde pessoal de Rogerio Ceni, de conseguir que o time complete dois jogos consecutivos sem sofrer gol, em 11 jogos sob seu comando, estará a vitória, seja qual for o resultado. A partir do Fla-Flu, o Flamengo terá “11 decisões”, com obrigação de ganhar todas, se quiser repetir o que só conseguiu há 37 anos, quando foi campeão brasileiro dois anos consecutivos, em 82-83. Foi o canto do cisne da geração Zico, a mais importante dos 125 anos da história do clube.