A goleada de 5 x 0 para o Independiente del Valle, do Equador, na noite de ontem (17), no estádio Casa Blanca, em Quito, representa a maior vergonha da história de 129 jogos do Flamengo em 16 participações na Copa Libertadores da América. Pela primeira vez, desde que a Libertadores foi criada em 1960, o campeão perdeu por 5 x 0 na edição seguinte, e foi a segunda vez que o Flamengo sofreu cinco gols na Libertadores, 36 anos depois dos 5 x 1 do Grêmio, na terça-feira, 26 de junho de 1984.

ESCAPOU DE MAIS – Do início ao fim, o domínio do Independiente del Valle foi acentuado, bastando o resumo de seus nove chutes na direção do gol, e um chute do Flamengo. Só o gol do meia Moisés Caicedo, de 18 anos, aos 40 minutos, o nono que marcou em oito jogos este ano, ficou barato para o Flamengo, que em nada melhorou na volta do intervalo, com Bruno Henrique no lugar de Diego, cuja opção foi inexplicável, tanto quanto Gabriel ter ficado, sem nada produzir, até o apito final.

3 x 0 EM 8 MINUTOS – Quando e como quis, o Independiente del Valle foi fazendo gol: em oito minutos, Angelo Preciado  marcou o segundo aos 5, e Gabriel Torres fez o terceiro aos 13, tirando o fôlego de Rodrigo Caio, com drible chocante, e ainda acertou o travessão aos 21. Jhon Sanchez humilhou no quarto gol, aos 36, com a letra entre as pernas de Cesar, e Beder Caicedo, aos 46, fechou a conta de fora da área. Independiente del Valle, 11 gols marcados, O gol sofrido em 3 jogos.

EXPULSÃO – Árbitro da Copa do Mundo de 2014 no Brasil e da final da Copa América de 2015 no Chile, Wilmar Roldan, de 40 anos, da Federação Colombiana, teve atuação correta em Independiente del Valle 5 x 0 Flamengo. Advertiu com cartão amarelo Willian Arão e Bruno Henrique, e Preciado, que, ao ser advertido com o segundo, foi expulso. Por igual deboche, Bruno Henrique também merecia o cartão vermelho.

TIME DA VERGONHA – Cesar, Isla, Rodrigo Caio, Leo Pereira e Filipe Luis (Renê); Willian Arão, Gerson (Tiago Maia), Diego (Bruno Henrique) e Everton Ribeiro (Michael); Arrascaeta (Pedro) e Gabriel. Técnico -Domènec Torrent, 11 jogos, 4 derrotas, todas sem gol: 0 x  1 Atlético Mineiro, 0 x 3 Atlético Goianiense, 0 x 2 Ceará, 0 x 5 Independiente del Valle. Terça (24), o Flamengo jogará em Guaiaquil com o Barcelona, no estádio Isidro Romero Carbo. 

QUARTA VEZ – Em suas 16 participações na Libertadores, esta é a segunda vez em que o Flamengo participa, pelo quarto ano consecutivo. O Flamengo estreou em 1981, ano de sua primeira conquista e em que ganhou, pela única vez, o Mundial de clubes, e deu sequência em 1982, 1983 e 1984. Só voltou em 91, 93, 2002, 2007, 2010, 2012 e 2014. Em 2017 iniciou a segunda participação em quatro anos consecutivos, voltando a ganhar a Libertadores, 38 anos depois, em 2019.

GRÊMIO 5 x 1 FLAMENGO – Estádio Olímpico, Porto Alegre, terça, 26 de junho 1984. Grêmio – João Marcos, Raul, Baidek, De Leon e Paulo Cesar; China, Osvaldo e Luis Carlos Martins; Renato (Gilson Gênio), Caio (Macuglia) e Tarciso. Técnico – Carlos Froner. Flamengo – Fillol, Bigu, Guto, Mozer e Adalberto; Andrade, Adílio e Tita; Bebeto, Edmar (Vinícius, depois Élder) e João Paulo. Técnico – Zagalo. 1 x 0 Osvaldo, 1 x 1 Tita, 2 x 1 Caio, 3 x 1 Osvaldo. Final – 4 x 1 Renato (hoje técnico), 5 x 1 Tarciso.

QUATRO VEZES 3 x 0 – A primeira derrota do Flamengo por 3 x 0 na Libertadores, em 1991, foi para o Boca Juniors, nas quartas de final. Depois, nos anos 2000, mais três derrotas por 3 x 0: 2007 – para o Defensor do Uruguai, nas oitavas de final. 2008 – para o Nacional do Uruguai, na fase de grupos, e em 2008 – para o América do México, nas oitavas de final. Resumo do Flamengo na Libertadores: Jogos – 129. Vitórias – 67. Derrotas – 35. Empates- 27.

CORITIBA 5 x 0 FLAMENGO – Antes do Independiente del Valle, o Coritiba foi o último a golear o Flamengo por 5 x 0, no estádio Couto Pereira, domingo, 14 de junho de 2009. Coritiba – Vanderlei, Cleiton, Rodrigo, Felipe e Hefner; Donizete, Pedro Ken (Jailton) e Renatinho; Guaru (Leozinho), Marco Aurélio (Bruno) e Ariel. Técnico – Renê Simões. Flamengo – Bruno, Welinton, Angelim, Airton e Everton Silva; Ibson, Toró, Juan (Fierro) e Everton; Josiel (Aleílson) e Adriano. Técnico – Cuca. 1 x 0 Welinton (contra), 2 x 0 Marco Antonio. Final – 3 x 0 Bruno, 4 x 0 Bruno, 5 x 0 LeozinhoFoi a primeira vitória do Coritiba no Brasileiro 2009.

Foto: Conmebol, FRANKLIN JACOME / Pool via REUTERS,  JOSE JACOME / AFP, UOL