O Superior Tribunal de Justiça Desportiva rejeitou o pedido de liminar do Cruzeiro de torcida única no jogo de amanhã (8) com o Palmeiras, em que pode escapar do seu primeiro rebaixamento ou amargar a primeira queda à Série B do Campeonato Brasileiro. E recomendou portões fechados, se o Cruzeiro não tiver como garantir a segurança.

OUTRO VETO – Até antes da medida adotada pelo STJD, o veto à presença da torcida do Palmeiras, amanhã (8), no Mineirão, havia sido recomendado à CBF pelo Ministério Público de Minas Gerais, com base no retrospecto de conflitos. Bom lembrar: na rodada anterior, a  CBF acatou a decisão do Ministério Público de São Paulo de torcida única em Palmeiras x Flamengo.

AÇÃO JUDICIAL – O promotor Paulo de Tarso disse que, independente do pedido do Cruzeiro para que o jogo seja com torcida única, se a CBF não atender, o Ministério Público ingressa com ação judicial. O promotor ressaltou que o clube com o mando de campo precisa e tem que adotar medidas preventivas concretas para evitar conflitos.

O QUE SE ESPERA do STJD, a partir de 2020, é que tenha a mesma firmeza para rejeitar os pedidos de efeito suspensivo, permitindo que jogadores punidos, alguns até com faltas desclassificantes e gestos intempestivos, possam ser beneficiados. Os torcedores, que pagam para assistir a um futebol de qualidade, agradecem pelo fim dessa imoralidade.