Em suas edições on-line da tarde desta segunda (6), os jornais de Madrid registram a notícia da morte de Radomir Antic, sérvio de 71 anos, ex-zagueiro e único técnico da história a dirigir Real Madrid, Atlético de Madrid e Barcelona, o que fez o entrar para a história do futebol espanhol. Antic era de 22/11/48, nascido em Zitiste, povoado de 15 mil habitantes, a 95 km de Belgrado, capital da antiga Iugoslávia, hoje República Sérvia.

ÚLTIMO JOGO – Dos dezessete anos como zagueiro – 1967 a 1984 -, Antic jogou oito no Partizan, de Belgrado, fundado três anos antes de seu nascimento. Partizan significa partidário e era o time do Exército. Antic só realizou o sonho de ser campeão iugoslavo em seu último ano (1976), quando venceu a final com o arquirrival Estrela Vermelha. Bom lembrar: o futebol iugoslavo sempre foi adversário difícil para o Brasil: 1 x 1 na Copa de 54,e 0 x 0 na Copa de 74, com duas bolas que vi o excelente ponta-esquerda Dzajic  mandar na trave do Emerson Leão, no belo Waldstadion, em Frankfurt.

BICAMPEÃO – Na década de 1980, Antic tornou-se um dos primeiros a jogar em uma equipe do Reino Unido. Ele livrou o Luton Town FC, time modesto do terceiro escalão, de mais um rebaixamento, ao vencer o Manchester City, que então caiu para a segunda divisão em 1984. Em 85-86 e 86-87, voltou à Iugoslávia para comandar o Partizan em campanhas memoráveis do bicampeonato.

NA ESPANHA – Uma torção do tornozelo deixou Antic praticamente fora dos campos em 77, mas ele foi feliz ao voltar em 78, campeão turco com o Fenerbahçe. Na sequência, o Real Zaragoza abriu-lhe a porta do futebol espanhol, sem que sonhasse com seu feito inédito de ser o único técnico a dirigir os três maiores do país. Em 91, no Real Madrid, Antic lançou o meia Luis Enrique, hoje técnico da seleção da Espanha.

CAMPEÃO – Radomir Antic dirigiu o Atlético de Madrid de 95 a 98 e logo na primeira temporada – 95-96 – ganhou a Copa do Rei e o Campeonato Espanhol, quando ainda não era La Liga. Foi o penúltimo dos dez títulos do clube, que só voltaria a ser campeão em 2013-2014, comandado pelo argentino Diego Simeone, meia que lançou e que fez 28 gols em 145 jogos pelo Atlético de Madrid, técnico até os dias atuais.

BARCELONA – Antic ainda passou pelo Oviedo e voltou a dirigir o Atlético de Madrid na temporada 1999-2000. O Barcelona foi a penúltima etapa como treinador, tornando-o o único a ser técnico dos três maiores times da Espanha, onde concluiu o trabalho em 2008, comandando o Celta, da cidade de Vigo, na costa noroeste do país. Em 2013, o chinês Shandong Luneng foi seu último clube, que o substituiu pelo curitibano Alexi Stival, o Cuca.

DIA DE PESAR – Hoje, 6 de abril de 2020, foi um dia de pesar no futebol espanhol. Além de muitas condolências pela morte de Radomir Antic, externadas pelos clubes em que jogou e foi técnico, Atlético de Madrid, Real Madrid e Barcelona apresentaram os mais sentidos pêsames ao técnico Guardiola. A mãe dele, Dolores Sala, de 82 anos, foi vítima do coronavírus em Manresa, comunidade autônoma da Catalunha, a 55 km de Barcelona.

GUARDIOLA recebeu as primeiras mensagens de três dos seus jogadores no Manchester City: o zagueiro francês Americ Laporte; o volante belga Kevin De Bruyne e o atacante brasileiro Gabriel Jesus. Logo depois também chegaram ao técnico do time bicampeão inglês as condolências do Barcelona, Real Madrid, Napoli e Bayern de Munique, que ele dirigiu de 2013 a 2016. O último boletim das autoridades sanitárias espanholas, do início da noite desta segunda (6), informa que são 135.032 os infectados e 13.055 os mortos no país.

Foto: Mundo Deportivo