A MULTA OBRIGATÓRIA de R$6 milhões, a ser paga se o demitir antes do final de dezembro, é um dos motivos de o Flamengo ainda não ter mandado o técnico Paulo Sousa de volta a Portugal. O contrato dele é até dezembro de 2023, mas a multa só terá que ser paga se ele for demitido até dezembro de 2022. A situação do técnico piorou no clube, depois que criticou falhas individuais na derrota para o Fortaleza.

O FLAMENGO TERÁ A VOLTA de Gabriel, que cumpriu suspensão no jogo com o Fortaleza, mas não contará com Bruno Henrique, David Luiz e Pablo, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e ainda continuará sem Arrascaeta, amanhã (oito), no jogo com o Bragantino. Os quatro só poderão reaparecer no jogo da noite de sábado (11) com o Internacional, na Arena Beira Rio, em Porto Alegre.

HÁ CINCO MESES NO CLUBE, Paulo Sousa é criticado pelas decisões inconstantes, principalmente as de alterar sempre a formação do time. O desgaste dele com os jogadores não se limita só a Diego Alves, que ele disse não ter incluído entre os reservas, no jogo com o Fortaleza, porque o goleiro só havia feito quatro treinos e ainda não estava em condições.

ALÉM DA REVOLTA DOS TORCEDORES, que não apenas o vaiam, mas também o ofendem com termos grosseiros, o desgaste interno de Paulo Sousa tem aumentado. Pela maioria dos dirigentes, ele já teria sido demitido, mas o presidente o mantém para não ter que pagar a multa de R$6 milhões. No entanto, os próximos resultados poderão tornar insustentável a permanência do técnico.

Foto: Diário do Fla