Merece muito destaque o registro do respeito que o Botafogo teve pela memória de Valdir Espinosa, antes de estreia com vitória (2 x 1) sobre o Boavista, na noite de ontem (1), pela Taça Rio, no estádio Nilton Santos. Com os times e os árbitros perfilados no grande círculo, confesso ter sido a mais respeitosa homenagem, de tantas e  quantas assisti em estádios brasileiros. Um minuto de silêncio com respeito nota 1000 do Botafogo.

DESDE O UNIFORME – O Botafogo utilizou uniforme preto e soube produzir as mensagens no telão do estádio, com Espinosa Eterno Campeão em linhas verticais e com o escudo do clube ladeando as três palavras, que resumiram bem a sensibilidade pela perda de um dos nomes marcantes da história do Glorioso. O retoque foi perfeito quando se expirou o minuto de silêncio e ouviu-se, com emoção, a repetição em coro do nome de Espinosa. O Botafogo está de parabéns e eu me congratulo com todos os que participaram de homenagem tão bonita e marcante.

SOFRIMENTO – A vitória que o Botafogo conseguiu nos acréscimos, aos 47 do segundo tempo, quando Bruno Nazario fez o gol do alívio, foi sofrida, mas boa e justa. O time mudou de postura em apenas dois jogos com Paulo Autuori, que há de ter incutido nos jogadores a mentalidade do futebol ofensivo, sem medo, com vontade de ganhar. É fácil também observar que há menos espaço para o adversário e marcação mais atenta.

GOLS BONITOS – O gol de Alex Santana, de fora da área, acertando o ângulo esquerdo, aos 26 do primeiro tempo, e o gol de Bruno Nazario, com toque de categoria, encobrindo o goleiro Klever, merecem destaque na estreia vitoriosa do time na Taça Rio. No gol do Boavista, que empatou aos 5 do segundo tempo, não se pode tirar o mérito de Michel, que cabeceou certo no chão, nem se deve atribuir tanta culpa a Gatito, pelo quique da bola.

ESTREANTE – Mesmo que só tenha atuado 60 minutos, o equatoriano Gabriel Cortez, de 24 anos,deixou impressão animadora. É um atacante que se apresenta bem, tem boa habilidade e pode progredir muito dentro do esquema de jogo do time. Os nove meses restantes do ano se encarregarão de mostrar ao clube se vale o investimento de 1 milhão de dólares ao fim do empréstimo. Cortez é do Emelec, do Equador.

TRÊS CARTÕES – O árbitro Paulo Coelho apitou jogo de bom nível técnico e teve atuação facilitada pela lealdades dos jogadores. Só advertiu o lateral uruguaio Barrandeguy e o meia Alex Santana, e o único do Boavista o atacante Michel, autor do gol. R$58.449,00. 3.480 pagantes, em noite chuvosa no estádio Nilton Santos.

VALORIZADO – Clássico de muito apelo e rivalidade, o Botafogo x Flamengo do próximo sábado (7), às 18 horas, no Maracanã, estará ainda mais valorizado pela campanha meritória do Flamengo e pela ascensão do Botafogo. Será um jogo de técnico que praticam futebol ofensivo, sem limite de agressividade. Com certeza, a essência da história de um dos maiores confrontos do futebol brasileiro estará em campo.

Foto: Vitor Silva / Botafogo