O Internacional recebeu R$1 milhão do torcedor Elusmar Maggi Scheffer, de 60 anos, para pagar a multa, exigida pelo Flamengo, como condição para que o lateral Rodinei, emprestado até maio, dispute o jogo de amanhã (21), em que pode voltar a ser campeão brasileiro depois de 41 anos. Ele e o irmão Eraí, nove anos mais novo, são da sétima família mais rica do Brasil, revela Forbes, a mais conceituada revista de negócios e economia do mundo, publicada desde 1917 nos Estados Unidos.

CINCO BILHÕES – Sócio do Grupo Bom Futuro, com fortuna em torno de R$10 bilhões, Elusmar nasceu em Torres, belíssima cidade praiana do extremo Norte do litoral gaúcho, a 192 km da capital Porto Alegre, com a única ilha marítima do estado, a Ilha dos Lobos, à sua frente. Os negócios, no entanto, estão em Cuiabá, capital do Mato Grosso, na região Centro-Oeste do país, onde a empresa produz mais de 1.300 mil toneladas de soja, a cada temporada. Cuiabá está a 2.184 km de Porto Alegre.

PRÊMIO – Uma das vitórias que mais emocionaram o colorado Elusmar, doador do R$1 milhão para Rodinei poder jogar amanhã (21), foi a de 2 x 0, gols de Rodrigo Moledo, que completava 150 jogos, e Paolo Guerrero, sobre o Nacional do Uruguai, na noite de 31 de maio de 2019, em que o time se classificou às quartas de final da Libertadores. Ele entregou o prêmio de melhor do jogo ao meia uruguaio Nico Lopez, que divide com o argentino D’Alessandro, o recorde de gols (23) na Arena Beira Rio.

A CAMISA – Se o Internacional for campeão, Elusmar ganhará duas camisas: a 21 de Rodinei, que fará dedicatória especial, e outra, com o autógrafo de todos os jogadores, do técnico Abel Braga e do presidente Alessandro Barcelos. Rodinei, de 29 anos, é um dos paulistas do time escalado para o jogo de amanhã (21), no Maracanã; o outro lateral, Moisés, de 25 anos, é paulistano, e o atacante Yuri Alberto, de 19, é de São José dos Campos, sede da Embraer e da Boeing.

FILHO QUERIDO – Campeão carioca, brasileiro e da Libertadores 2019 pelo Flamengo, o aquariano Rodinei de Almeida, de 29 de janeiro de 1992, é tratado como um dos filhos queridos e famosos de Tatuí, município de 125 mil habitantes, a 130 km de São Paulo. O lateral do Internacional é conterrâneo do ex-ministro Celso de Mello, presidente do Supremo Tribunal Federal (1989 a 2000), da atriz e diretora Vera Holtz, e do artilheiro Adhemar Camargo, que brilhou no São Caetano, Stuttgart e Yokohama.

CAPITAL DA MÚSICA – A Câmara Municpal de Tatuí, onde Rodinei nasceu, homenageará o lateral, se o Internacional for campeão, como aconteceu nas conquistas dele no Flamengo. Considerado a capital da música, o município se orgulha muito do Conservatório de Tatuí, a maior escola de música da América Latina e a mais tradicional do Brasil, mantida sempre em elevado padrão pela Secretaria estadual de Cultura. Tatuí também é tratada como a cidade ternura e a cidade dos doces.

TRÊS DO RIO – O Internacional iniciará amanhã (21), com três nascidos no Rio: o goleiro Marcelo Lomba, de 34 anos, 1,88m, campeão carioca, da Copa do Brasil e do Brasileiro no Flamengo; o meia Praxedes, de 19 anos, de Itaboraí, e o meia Patrick, de 28 anos, carioca do Méier; três nordestinos: os zagueiros de 22 anos Lucas Ribeiro, 1,90m, baiano de Salvador, e Zé Gabriel, 1,85m, sergipano de Carmópolis, e o atacante Caio Vidal, de 19, cearense de Fortaleza. E para não dizer que não há gaúcho no Internacional, o volante Rodrigo Dourado, de 26 anos, é de Pelotas, e o meia Edenilson, de 31, de Porto Alegre.

Imagem: Ricardo Duarte/Inter