Escolha uma Página

O TÉCNICO DORIVAL JUNIOR, ex-volante de 61 anos, convocou 26 para os dois primeiros amistosos em que dirigirá a seleção, dia 23 em Londres com a Inglaterra, e dia 26 em Madrid com a Espanha, dos quais cinco estreantes. Sete jogam no Brasil, 19 na Europa, segundo ele, “onde estão os melhores jogadores brasileiros”.

DOS 19 DE TIMES EUROPEUS, 10 jogam na Inglaterra, e um deles será titular absoluto: o goleiro Ederson, do Manchester City, com 25 jogos na seleção desde 2016; os outros goleiros, Bento, do Athletico Paranaense, e Rafael, do São Paulo, campeão da Copa do Brasil de 2023 com o novo técnico da seleção.

OS LATERAIS-DIREITOS Danilo, da Juventus, e Yan Couto, do Girona; os laterais-esquerdos, Ayrton Lucas, do Flamengo, e Wendell, do Porto. Dos quatro zagueiros, o experiente Marquinhos e o novato Beraldo, ambos do PSG; Gabriel Magalhães, do Arsenal de Londres, e Marquinhos, do Palmeiras, entre os cinco novatos.

DOS OITO MEIAS convocados, seis jogam na Inglaterra: Andreas Pereira (Fulham), Bruno Guimarães (Newcastle), Douglas Luiz (Aston Villa), Casemiro (Manchester United), João Gomes (Wolverhamtpon) e Lucas Paquetá (West Ham). Completam o meio, André (Fluminense) e Pablo Maia (São Paulo).

DOS SEIS ATACANTES, só Endrick (Palmeiras) joga no Brasil, Richarlison (Tottenham) está de volta, e a novidade é Sávio, que tem se destacado no Girona, vice-líder do Espanhol. Foram mantidos Raphinha (Barcelona), Gabriel Martinelli (Arsenal) e Rodrygo e Vinicius Junior (Real Madrid).

‘UMA SÓ PELE” e “Uma só identidade” fazem parte da campanha que a CBF usará nos amistosos com Inglaterra e Espanha, onde Vinicius Junior tem sido alvo de ataques racistas em vários estádios, sendo o mais forte no Mestala, estádio do Valencia, onde o jogo chegou a ser paralisado por alguns minutos.

DORIVAL JUNIOR admitiu que os amistosos com Inglaterra e Espanha serão complicados: “São duas das seleções europeias mais fortes e que vêm atuando há algum tempo, mas teremos condições de enfrentá-las”. Dorival disse que “como no clube, na seleção o técnico também precisa de resultados”.

O TÉCNICO, tal como quando foi apresentado, em 11 de janeiro, renovou o pedido para que “todos voltem a acreditar na seleção”. Dorival disse também que “toda reformulação necessita de mudanças contínuas, mas que não podem ser radicais”. Ele disse que “a seleção precisa voltar a merecer a confiança em seu próprio país”.

DORIVAL JUNIOR disse ter feito várias reuniões, com vários jogadores, e que baseou a convocação em cima de aspectos táticos: “A renovação a que nos propomos depende do rendimento de cada um, e todos serão convocados sempre por merecimento”.

SOBRE OS CINCO convocados pela primeira vez – Rafael, Beraldo, Murilo, Sávio e Pablo Maia -, Dorival ressaltou: “São jovens, mas com boa experiência, o que facilita o encaixe quando fizermos a mesclagem”. O técnico salientou também que “o futebol brasileiro sempre se reinventa rapidamente e precisamos dessa virada de chave”.

DORIVAL JUNIOR reafirmou ainda que o objetivo é recolocar a seleção na final da Copa do Mundo de 2026, descartando que o trabalho visa 2030: “Não queremos olhar o futuro distante. Estamos pensando daqui a dois anos e meio. Queremos o Brasil na decisão da próxima Copa”.

Foto: Staff Images, CBF e Reuters