Escolha uma Página

MILLONARIOS x PALESTINO, às 11 horas da noite desta 3ª feira (14), no estádio El Campin, em Bogotá, capital da Colômbia, abre a penúltima rodada da fase de grupos da Libertadores. É o jogo em que a sorte do Flamengo está lançada, para conseguir a classificação ao mata-mata das oitavas de final da Libertadores.

SURPREENDENTEMENTE, o jogo ganhou extraordinária conotação política, com apoio total ao Palestino, por sua relação com o povo da Palestina. Desde a chegada a Bogotá, centenas de torcedores colombianos foram receber a equipe chilena com bandeiras e cânticos a seu favor, como estímulo para que vença o Millonarios.

ATÉ MESMO O PRESIDENTE da República da Colômbia, Gustavo Petro, economista de 64 anos, integrante da extinta guerrilha M-19, publicou mensagens em suas redes sociais, exortando os torcedores de todas as equipes a lotar o estádio e apoiar, como fez questão de destacar, “o valente povo palestino”.

VICE-LÍDER DO GRUPO E, o Palestino abrirá cinco pontos de vantagem sobre o Flamengo, 3º com 4 pontos, se vencer o Millonarios, e mesmo que o Flamengo vença o Bolívar, líder com 10 pontos, amanhã (15), no Maracanã, o Palestino só dependerá do empate com o Bolívar, na última rodada, dia 28, em La Paz, para se classificar em 2º lugar.

ALÉM DE TER QUE GANHAR os dois jogos no Maracanã, amanhã (15) com o Bolívar, e dia 28 com o Millonarios, último colocado, sem vitória e praticamente eliminado, o Flamengo precisará de saldo de gol porque está zerado (4 a 4), enquanto o saldo do Bolívar é de 6 (10 a 4), e o do Palestino é de menos 3 gols (4 a 7).

BOM LEMBRAR: as duas únicas vitórias do Palestino foram em casa: 3 x 1 no Millonarios e 1 x 0 no Flamengo. No jogo de ida com o Bolívar, mesmo em casa, o Palestino foi goleado por 4 x 0. Os pontos do Millonarios foram de empates em casa (1 x 1) com o Flamengo e o Bolívar.

O PALESTINO foi fundado em 1920, em Santiago, e tem o apoio de mais de 500 mil imigrantes, que compõem, no Chile, a maior comunidade palestina fora do Oriente Médio. O patrocínio master da camisa é do Banco da Palestina, logo após iniciar as operações comerciais no Chile, com mais de 300 mil imigrantes como clientes.

O PALESTINO ganhou impulso com o ex-zagueiro Elias Figueroa, capitão e campeão chileno (78); da Copa do Chile (77), e da seleção chilena, melhor zagueiro da Copa do Mundo de 74. Antes, ele foi hexacampeão gaúcho (71 a 76) e bicampeão brasileiro (75-76) pelo Internacional, com 336 jogos e 26 gols.

Fotos: Mengo Press