Vanderlei Luxemburgo se despede hoje (25) do Vasco, após treze jogos, sem nada ter ganhado, em dois meses de trabalho, e pela primeira vez rebaixado, depois de ser um dos técnicos mais vitoriosos do futebol brasileiro com quinze títulos estaduais. No currículo dele, entre outros, o bicampeonato paulista 2006-07 no Santos; o bicampeonato 93-94 e mais três títulos no Palmeiras, em 96, 2008, 2020, e a tríplice coroa 2003 no Cruzeiro, campeão mineiro, brasileiro e da Copa do Brasil.

REFÉM DO SISTEMA – Tanto quanto outros profissionais de bom nível, Luxemburgo é um refém do sistema que os clubes brasileiros adotaram para gerir o futebol, rotulado como profissional, mas com dirigentes amadores, despreparados, sem nenhuma visão. Um futebol sem planejamento e atrelado a resultados, ao sabor das ondas. O quarto rebaixamento do Vasco, que trocou três vezes de técnico, é bem a cara de um clube em que a competência tem passado ao largo.

VERGONHOSA – Independente da mancha do quarto rebaixamento, incompatível com a tradição centenária do clube, a campanha do Vasco no Brasileiro 2020 é simplesmente humilhante, vergonhosa. Só ganhou 38 dos 111 pontos disputados. Só venceu 9 dos 37 jogos. Só fez 34 gols em 37 jogos, menos de um 1 gol por jogo, terceiro pior ataque. Em 37 jogos, sofreu 54 gols, terceiro pior saldo. Das 9 vitórias, só 6 em casa, 3 em cada turno, e só 3 como visitante, apenas uma no returno.

GOLEADAS – Tal qual time pequeno, o Vasco levou duas goleadas de 4 x 1 como visitante, do Atlético Mineiro, de virada, e do Bragantino, e de 4 x 0 do Grêmio, embora a pior tenha sido a de 4 x 1 para o Ceará, em São Januário. Foi também em seu estádio histórico que o Vasco sofreu duas viradas por 2 x 1 para o Flamengo e o Atlético Goianiense. O Vasco não conseguiu sair do 0 x 0, em casa, com Grêmio, Fortaleza e Bahia, e como visitante, com Atlético Goianiense e Corinthians.

O EXEMPLO – Torcedor assumido do Flamengo, Luxemburgo sai do Vasco, após o jogo da noite de hoje (25) com o Goiás, também rebaixado, deixando a marca da correção profissional. Poucos fariam o que ele fez, ao assumir um time fraco, trabalhando de graça e só com direito ao bônus, se o mantivesse na Série A, missão que sabia ser quase impossível. Na nota de agradecimento, o clube não fez nenhum favor em exaltar-lhe a coragem, o caráter e o profissionalismo.

CLÁSSICOS – Vasco, Botafogo e Cruzeiro farão clássicos de luxo na Série B 2021. O primeiro campeão do Maracanã (1950) e o primeiro campeão do Mineirão (1965), reviverão, quase meio século depois, a final de 1 de agosto de 1974, no então maior estádio do mundo, quando o Vasco (2 x 1) ganhou seu primeiro Campeonato Brasileiro. Botafogo e Vasco também vão reviver finais emocionantes, como a primeira que fizeram no Maracanã, do título carioca de 1968 (Botafogo 4 x 0).

Foto: Agencia Brasil