Escolha uma Página

Falta exatamente um mês para o sábado histórico de 30 de janeiro de 2021; o sábado da primeira grande final da Libertadores no Maracanã. O Flamengo perdeu a chance de ser o terceiro brasileiro a ganhar a taça por dois anos seguidos, como fizeram o Santos, do rei Pelé, em 62-63, e o São Paulo, do mestre Telê Santana, em 92-93, conquistando, com todos os méritos, não só a Libertadores, mas também o Mundial de clubes, em dois anos consecutivos, o que o Flamengo deixou escapar em 2019.

INEXPLICÁVEL – Por mais que se tente, é difícil encontrar explicação para a eliminação do Flamengo, ainda nas oitavas de final, e para um time de pouca expressão como o Racing, quinta força do futebol argentino, com quem não passou de empates, o segundo só conseguido nos minutos finais, e em pleno Maracanã. Uma eliminação tão traumática quanto à do placar agregado de 5 x 1, nas quartas de final da Copa do Brasil, em que perdeu duas consecutivas para o São Paulo em uma semana.

TANTA MUDANÇA – Por que terá havido tanta mudança, em um ano, em uma equipe que ganhou (quase) tudo em 2019, só lhe faltando a Copa do Brasil, em que também a eliminação foi nos pênaltis, e no Maracanã, e a cereja do bolo do Mundial de clubes, para repetir o brilho da geração Zico, que ganhou a Libertadores e o Mundial em 1981? A temporada 2020 vai terminando, sem que o time consiga sequer manter a regularidade, diferente daquele que bateu recorde de pontos em 2019.

NADA PARECIDO – O Flamengo de 2020 não é nada parecido com o Flamengo de 2019, quando se manteve invicto em 24 jogos, com 21 vitórias e 3 empates, e igualou o recorde de 2003 do Cruzeiro, no primeiro ano dos pontos corridos, com 8 vitórias consecutivas. E mais: nos jogos com o mando de campo, venceu 19, igualando-se ao Grêmio de 2009 e ao Atlético Mineiro de 2012. Não houve mudança no elenco capaz de justificar tanta queda de rendimento. O clube não pode deixar de ser cobrado.

GRANDE REAÇÃO – O Brasileiro de 2020 não está perdido, ainda que o time esteja sete pontos, atrás do líder, embora com menos um jogo. O Flamengo precisa de uma grande reação, com apresentações que nada tenham a ver com a do 0 x 0 com o Fortaleza, uma de suas piores decepções. O Flamengo do último sábado na Arena Castelão, onde até pênalti não soube converter, foi o time que não combina com os anseios do segundo título brasileiro consecutivo que a torcida tanto quer e ainda espera.

Foto: BeSoccer