O Corinthians chegou aos oito jogos alternando empates e derrotas, como a que sofreu (2 x 1) para o CSA, na noite de ontem (30), no estádio Rei Pelé, em Maceió. Ultrapassado pelo Grêmio, que o tirou do G-6, o Corinthians não lembra em nada no Brasileirão, o time brilhante da campanha vitoriosa do tricampeonato paulista.

REVOLTADO – O presidente Andrés Sanchez perdeu até a serenidade e detonou os jogadores logo após a derrota da noite de ontem (30), em Maceió: “Os que quiserem, podem pedir para antecipar as férias”. O dirigente decidiu manter o técnico Fabio Carille, embora ele seja o alvo principal dos protestos dos torcedores, que foram cobrar no hotel.

ÚLTIMA VITÓRIA – 1 x 0 no Vasco, dia 28 de setembro, na rodada 22, última vitória do Corinthians. Depois disso, só derrotas e empates: 0 x 0 Grêmio, 2 x 2 Athletico, 0 x 1 São Paulo, 2 x 2 Goiás, 1 x 2 Cruzeiro, 0 x 0 Santos e o 1 x 2 do CSA. Juntando os cacos, o Corinthians tentará voltar a vencer no Maracanã, domingo (3), no jogo com o líder Flamengo. Missão (quase) impossível.

EMOÇÃO DO GOL – O norte-riograndense Apodi, de 33 anos, que o técnico gaúcho Argel Fucks transformou de lateral em ponta, fez o primeiro gol do CSA, aos 25, com chute rasteiro no canto, e o meia alagoano Pedrinho, aos 45, revelado no CSA, mostrou-se emocionado ao empatar: seu décimo segundo gol em 131 jogos pelo Corinthians.

A VITÓRIA – O CSA chegou à sétima vitória aos 35 do segundo tempo, quando mais forte era o apoio da torcida. No escanteio de Celsinho, a subida do paulista Ricardo Bueno, que rescindiu com o Ceará, para fazer o gol de cabeça. Afeito aos desafios, o time vai tentar mais três pontos na Arena da Baixada, em Curitiba, no próximo domingo (3).

Foto: R7 Esportes