Escolha uma Página

ABEL BRAGA PEDIU DEMISSÃO do Fluminense, hoje, 28 de abril de 2022, 26 dias depois de ganhar o título carioca que o clube não conquistava desde 2002. Ele não aceitou o pedido para ficar até 11 de maio, quando o time fará o jogo de volta da 3ª fase da Copa do Brasil com o Vila Nova, em Goiânia. Abel Braga, resumiu assim sua saída do Fluminense: “Foi meu último trabalho como técnico no Brasil”. 

ABEL BRAGA FOI TÉCNICO 13 vezes campeão, carioca em 2005, 2012 e 2022 no Fluminense, campeão brasileiro em 2012; carioca em 2004 e 2019 no Flamengo; gaúcho em 2008 e 2014 no Internacional, campeão da Libertadores e Mundial de clubes em 2006; pernambucano em 1987 no Santa Cruz; paranaense em 1998 no Athletico e em 1999 no Coritiba.

ABEL BRAGA disse que não trabalhará mais como técnico, a não ser que receba convite de clube estrangeiro (o mais recente foi o Lugano, da Suíça, em 2021, antes de voltar pela 5ª e última vez ao Fluminense). No Brasil, Abel Braga só aceitaria ser diretor técnico, citando o exemplo do bom trabalho que o ex-técnico Muricy Ramalho está realizando no São Paulo.

ABEL BRAGA foi zagueiro de 1971 a 1985, campeão no Fluminense em 71, 73, 75; Figueirense, Vasco, campeão em 77; Cruzeiro, Botafogo e encerrou a carreira em 84-85 no Goytacás, onde logo iniciou como técnico. O PSG foi seu único clube estrangeiro, de 79 a 81, quando ganhou o prêmio de melhor da posição em dois campeonatos franceses. Abel Braga foi bom marcador técnico e se impunha pelo porte fisico.

ABEL BRAGA foi técnico de cinco equipes da Europa, as três primeiras em Portugal: Famalicão, 89 a 91; Belenenses, 91 a 94, e Vitória de Setúbal, 94-95. Na França, dirigiu o Olympique de Marselha em 2000, e em 2021 o Lugano, da Suíça. No Oriente Médio, comandou duas vezes o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, em 2008-2011 e 2015-2016.

ABEL BRAGA estava muito pressionado pelos torcedores, que o vaiaram, mesmo na vitória por 3 x 2 sobre o Vila Nova, e na derrota do último domingo (24) para o Internacional por 1 x 0. Ele sai com o time em 13º no Brasileiro, com 4 pontos – 1 vitória, 1 empate, 1 derrota e sem saldo de gol (1 a 1) -, e o time passa a ser dirigido pelo interino Marcão, a partir do próximo domingo (1), como visitante, no jogo com o Coritiba, 10º e com números iguais aos do Fluminense, com exceção de gols, com saldo de dois (6 a 4).

ABEL BRAGA foi o segundo técnico com mais jogos no Fluminense: 352, menos 140 que os 492 de Zezé Moreira, campeão carioca em 1951 e 1959, e campeão da 2ª Copa Rio, em 1952, que era o Mundial de clubes da época. Nessa sua última passagem pelo clube, Abel Braga teve 75% de aproveitamento em 26 jogos, com 17 vitórias, 5 derrotas, 4 empates, saldo de 20 gols (35 a 15). Virginiano, signo dos corretos e detalhistas, o carioca Abel Carlos da Silva Braga completará 70 anos dia 1 de setembro.

Foto: UOL