Se a decisão adotada ontem (24) pelos vinte clubes que disputarão a Série A do Campeonato Brasileiro de 2021, entre 29 de maio e 5 de dezembro for de fato mantida, acabou a farra da troca de técnicos. A proposta da Confederação Brasileira de Futebol, antes rejeitada, foi aprovada por 11 votos a 9, com o Flamengo contra e o Fluminense a favor. O clube que demitir o  técnico, só poderá preencher a vaga com um interino, que já esteja na comissão técnica há pelo menos seis meses.

LÁ E CÁ – Se o clube não poderá trocar de técnico quando bem entender, e por mais de uma vez, o técnico também não terá o direito de sair do clube por mais de uma vez, sob qualquer alegação. O que pedir demissão, não poderá trabalhar em outra equipe na mesma temporada. Dos quatro promovidos da Série B, dois votaram a favor, a Chapecoense e o América Mineiro, e dois votaram contra, o Cuiabá, da capital do Mato Grosso, e o Juventude, de Caxias do Sul, na Serra gaúcha.

A FAVOR – Os onze votos favoráveis à proposta da CBF foram do Fluminense, Santos, Atlético Mineiro, Palmeiras, São Paulo, Corinthians, Bragantino, Internacional, Chapecoense, America Mineiro e Sport. 

CONTRA – Os nove votos contra foram do Flamengo, Grêmio, Bahia, Ceará, Atlético Goianiense, Athletico Paranaense, Cuiabá, Fortaleza e Juventude. Ficou também mantida a proibição da troca do mando de campo.

FLAMENGO x PALMEIRAS – Adversários do jogo único da decisão da Supercopa do Brasil 2021, dia 11 de abril no estádio Mané Garrincha, em Brasília, Flamengo e Palmeiras voltarão a se enfrentar na abertura do Campeonato Brasileiro, dia 29 de maio, se possível no Maracanã ou em estádio a ser indicado pelo Flamengo, que terá o mando de campo.

SÃO PAULO x FLUMINENSE – O jogo dos tricolores na abertura do Brasileiro 2021 será no estádio do Morumbi e a primeira rodada terá também Atlético x Fortaleza, no Mineirão; Bahia x Santos, na Arena Fonte Nova; Internacional x Sport, na Arena Beira Rio; Ceará x Grêmio, no Castelão; Corinthians x Atlético Goianiense, em São Paulo; Chapecoense x Bragantino, em Santa Catarina; Athletico Paranaense x America Mineiro, na Arena da Baixada, e o primeiro confronto entre recém promovidos Cuiabá x Juventude, na Arena Pantanal, na capital do Mato Grosso.

BOM LEMBRAR – Quatro técnicos trocaram de clube por proposta mais vantajosa durante o Campeonato Brasileiro 2020: Odair Hellmann, do Fluminense para a Arábia Saudita; Vagner Mancini, do Atlético Goianiense para o Corinthians; Rogerio Ceni, do Fortaleza para o Flamengo, e o argentino Eduardo Coudet, do Internacional para o Celta de Vigo (Espanha). 

CINCO ANOS – Para não retrocedermos tanto, basta citar os exemplos dos números de técnicos demitidos e/ou que pediram demissão durante os Campeonatos Brasileiros dos últimos seis anos: 2015 (32), 2016 (29), 2017 (23), 2018 (29), 2019 (26), 2020 (26). Entre os que mais trocaram em 2020: Botafogo – Autuori, Lazaroni e o argentino Ramon Diaz, antes mesmo de estrear. Coritiba – Barroca, Jorginho, Rodrigo Santana. Goiás – Ney Franco, Tiago Larghi, Enderson Moreira. 

Foto: Felipe Santos