Com o belo gol de fora da área do atacante amapaense Miguel Figueira, de 20 anos, aos 47 do segundo tempo, o Goiás venceu (1 x 0) o Palmeiras, na noite de ontem (21), no estádio da Serrinha, em Goiânia, na estreia do ex-lateral Augusto Cesar, brasiliense de 52 anos, que dirigia o sub-23 e assumiu com a demissão do técnico Enderson Moreira. A última vitória do Goiás havia sido em 13 de setembro sobre o Internacional (1 x 0, gol de Vinícius Lopes).

DESDE ENTÃO, o Goiás acumulou quatro empates- Botafogo (0 x 0), Bahia e Vasco (1 x 1), Ceará (2 x 2) -e sete derrotas- 1 x 0 Athletico Paranaense; 2 x 0 Bragantino e São Paulo; 3 x 0 Atlético Mineiro; 3 x 2 Santos; 2 x 1 Flamengo e 4 x 2 Fluminense , até conseguir vencer (1 x 0) o Palmeiras, que além de muito desfalcado, ficou sem Luiz Adriano, artilheiro do time, que saiu aos 23 minutos, com problema muscular, e o lateral Mayke, expulso aos 39 minutos, também do primeiro tempo. 

UM ALÍVIO – A derrota não tirou o Goiás da última colocação, mas trouxe um alívio: com 15 pontos, o time ficou a 5 do Botafogo (penúltimo) e do Coritiba (antepenúltimo), e com 11 derrotas, deixou de ser o que mais perdeu (o Coritiba, derrotado pelo Flamengo, passou a ter 12 derrotas). Além disso, o Goiás deixou de ser o que menos venceu, igualando-se ao Botafogo com três vitórias, primeiro quesito de desempate. O Coritiba tem 5 vitórias e o Vasco, que abre o rebaixamento, 6.

PODE DESCER – Se houvesse vencido, o Palmeiras se aproximaria ainda mais dos quatro primeiros, mas a derrota pode tirá-lo do quinto lugar com 34 pontos, caso o Grêmio, sétimo com 33, e o Fluminense, oitavo com 32, vençam hoje (22). Além dos casos de contusão e suspensão, o Palmeiras foi dos mais atingidos pela Covid-19, entre titulares e reservas, tanto que recorreu à base para completar o grupo na viagem a Goiás, com jogadores da categoria sub-17.

A PRIMEIRA – Depois de um empate e quatro vitórias, foi a primeira derrota do técnico português Abel Ferreira, que confessa preocupação não só com a sequência do Campeonato Brasileiro, mas com os jogos pela Libertadores. O Palmeiras joga quarta (25) com o Delfin, na cidade de Manta, no Equador, pelo mata-mata das oitavas de final, e sábado (28) terá jogo em São Paulo com o Athletico Paranaense.

GOIÁS – Tadeu, Taylon (Rafael Moura), Fabio Sanches, David Duarte e Jefferson (Rodrigues); Breno, Ariel Cabral (Miguel Figueira) e Gustavo Blanco (Alyson); Keko, Douglas Baggio (Shaylon) e Fernandão. Último com 15 pontos em 20 jogos – 3 vitórias, 6 empates, 11 derrotas, saldo negativo de 12 gols (22 a 34) -, o Goiás será visitante no jogo da próxima quinta (25) com o Fortaleza, na Arena Castelão.

PALMEIRAS – Weverton, Emerson Santos, Gustavo Gomez e Renan; Marcos Rocha, Patrick de Paula, Ramires, Lucas Lima (Esteves) e Mayke; Marcelinho (Gabriel Menino) e Luiz Adriano (Fabrício e depois Luan). 

EXPULSÃO – Goiás 1 x 0 Palmeiras foi bem apitado pelo militar carioca Bruno Arleu Araújo, da Federação do Rio de Janeiro e em seu primeiro ano como árbitro FIFA. Ele advertiu Rafael Moura e Miguel Figueira, do Goiás, e Renan e Gabriel Menino, com cartão amarelo, e foi correto na expulsão do lateral Mayke, do Palmeiras, pela entrada desleal no tornozelo do lateral Taylon. A revisão no VAR não deixou dúvida.

Foto: Heber Gomes