Escolha uma Página

O ITALIANO CARLO ANCELOTTI, ex-meia canhoto de 64 anos, 468 jogos e 42 gols na carreira de 16 anos, será o primeiro técnico estrangeiro a dirigir a seleção brasileira, que o aguardará pelo tempo que for necessário para assumir o cargo. No próximo dia 30, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol fará pronunciamento oficial sobre a decisão, depois de confirmar que aguardará, se preciso, até junho de 2024, quando termina o contrato do técnico com o Real Madrid. 

ANCELOTTI É RECORDISTA de títulos da Liga dos Campeões, duas vezes campeão no Milan, em 2002-03 e 2006-07, e duas vezes campeão no Real Madrid, em 2013-14 e 2021-22, além de ter sido duas vezes consecutivas campeão pelo Milan como jogador, em 1988-89/1989-90. Em 1982-83, Ancelotti foi campeão italiano pela Roma, formando o meio-campo com Paulo Roberto Falcão, a quem sempre elogia como “um jogador de nível técnico fora de série”.

738 VITÓRIAS em 1.234 jogos é o resumo da carreira de Ancelotti, técnico desde 1995-96. No Milan, campeão italiano em 2003-04 e Mundial de clubes em 2007. No Chelsea, campeão inglês, da Copa e da Supercopa da Inglaterra em 2009-10. No PSG, campeão francês em 2012-13. No Real Madrid, campeão espanhol 2021-22. No Bayern Munique, campeão alemão em 2016-17, além dos títulos da Liga dos Campeões já mencionados no tópico anterior da matéria.

A ÚNICA VEZ que um estrangeiro dirigiu a seleção brasileira foi em 7 de setembro de 1965, na inauguração do Mineirão. A então CBD – Confederação Brasileira de Desportos – deu ao Palmeiras a honra de vestir a camisa da seleção no amistoso com o Uruguai. Dirigido pelo argentino Nelson Filpo Nuñez, o Palmeiras ganhou com autoridade por 3 x 0, gols de Rinaldo, Tupãzinho e Germano. Na equipe ainda jogava Djalma Santos, bicampeão mundial em 58-62.

Crédito: Reprodução UOL/ David Ramos