O primeiro domingo (5) de julho começou com duas más notícias para o Barcelona, a vitória do Real Madrid, que manteve a liderança do campeonato, e a renovação do contrato de seu ex-meia Xavi Hernandez, que o clube queria como técnico na temporada 2020-2021, com a certeza de que repetiria o sucesso de Guardiola, seu ex-companheiro no clube e na seleção. Xavi assumiu o Al-Sadd como técnico em maio de 2019, após encerrar a carreira com 25 gols em 109 jogos pela equipe árabe.

TÍTULOS – Xavi chegou ao Catar depois de ter sido recordista de jogos (769) pelo Barcelona, marcando 85 gols, entre 1998 e 2015, ganhando, entre outros títulos, dois Mundiais de clubes; quatro Champions League; seis Supercopas da Espanha e oito campeonatos espanhóis. A renovação do contrato com o Al-Sadd Sports Club, um dos mais novos do Catar, fundado em 21 de outubro de 1969, será até julho de 2021, com opção para a terceira temporada. Al-Sadd é o nome de um distrito de Doha e o time é tratado por sua fanática torcida como Al-Zaeem (O Chefe) e Al-Dheeb (O Lobo). 

EMBAIXADOR – Dez anos depois de ter sido campeão do mundo, na primeira Copa realizada na África, Xavi será o embaixador da Copa de 2022, primeira no Oriente Médio, por alta distinção do governo do Catar, com base na capital Doha, conhecida pelos arranha-céus futuristas e pela arquitetura ultramoderna inspirada no antigo design islâmico. Bom lembrar: entre 2000 e 2014, Xavi fez 133 jogos e 13 gols pela Espanha, única seleção a ganhar duas vezes consecutivas a Eurocopa, em 2008 e 2012.

Foto: Divulgação