A Comissão de Arbitragem da Confederação Sul-Americana escalou Fernando Rapallíni, da Associação Argentina de Futebol, para apitar Emelec x Flamengo, jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores, quarta-feira (24) da próxima semana, no estádio George Capwell, em Guaiaquil. O árbitro do jogo de volta, dia 31, no Maracanã, só será anunciado semana que vem.

NA GOLEADA – A atuação mais recente de Fernando Rapallíni, argentino de 41 anos, foi em Brasil 5 x 0 Peru, na fase de grupos da Copa América. Em 2019 ele também dirigiu dois jogos da Libertadores: LDU 2 x 0 Peñarol e Atlético Mineiro 0 x 1 Nacional do Uruguai. No Mundial sub-20 apitou França 2 x 0 Arábia Saudita e Nigéria 1 x 1 Ucrânia. Sua estreia no Campeonato Argentino foi 2011 apitando Godoy Cruz x All Sports. Em 2014, um jogo marcante, em que expulsou um do Independiente e deixou de dar pênalti contra o Racing, provocando revolta e comentário durante toda a semana nos jornais de Buenos Aires.

SEM TÍTULO – O Club Sport Emelec ainda não ganhou a Libertadores. Sua melhor colocação foi o terceiro lugar em 1995. Seus feitos mais recentes foram as vitórias sobre o Olímpia, no Paraguai, e o Flamengo, na época de Ronaldinho Gaúcho, no Maracanã. 14 vezes campeão do Equador, entre 1957 e 2017, ganhou três bicampeonatos: 93-94, 2001-02 e 2013-14. As estrelas na camisa – azul ou branca – representam os 24 estados do país.

O ESTÁDIO – Inaugurado em 21 de outubro de 1945, o estádio do Emelec tem o nome em homenagem ao seu fundador, o americano George Capwell – 1902 – 1970 -, que registrou o clube, em 7 de junho de 1929, com a primeira sílaba da empresa de energia do país: Empresa Electrica do Equador, em que era superintendente. O estádio tem 40 mil lugares, perto do centro da cidade, com o maior porto do país, a 250 km da capital Quito. O técnico mais famoso do Emelec, em 2010, foi o argentino Jorge Sampaoli, hoje no Santos.