Escolha uma Página

Luis Suarez, maior artilheiro da história da seleção mais vezes campeã da Copa América, com 15 títulos, pediu para iniciar a cobrança de pênaltis, depois do 0 x 0 com o Peru, e seu chute, defendido no canto direito pelo goleiro Pedro Gallese, custou a eliminação do Uruguai das semifinais, na tarde deste último sábado (29) de junho, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O Uruguai teve três gols anulados pelo árbitro de video, e o Peru se classificou nos pênaltis (5 x 4) após manter o 0 x 0.

Campeão pela única vez em 1975, o Peru disputará a semifinal com o Chile, atual bicampeão, quarta (3), na Arena Grêmio, em Porto Alegre. O vencedor saberá na véspera com quem decidirá a Copa América de 2019: Brasil – oito vezes campeão – ou Argentina – 14 títulos -, que farão a primeira semifinal terça (2), no Mineirão, em Belo Horizonte.

O CHORO DE SUAREZ – Assim que o meia Edinson Flores converteu a quinta cobrança do Peru, Luis Suarez curvou-se e pôs-se a chorar em campo, cobrindo o rosto com outra camisa da seleção. Todos os companheiros tentaram reanimá-lo, sem que nenhum conseguisse. Há de ter sido um dos piores, se não o pior momento de sua carreira, em que completou 610 jogos – 397 gols, 185 assistências -, ao chegar ao jogo 115, com 58 gols pela seleção, que defende desde 2007, como seu maior artilheiro. 

TERRA DE CRAQUES – Luis Alberto Suarez, de 32 anos, 1,82m, destro, é de Salto, a 500 km da capital Montevidéu, pequena cidade de 120 mil habitantes, e onde também nasceram Edinson Cavani, seu parceiro de ataque; o ex-meia Pedro Rocha – 1942 – 2013, oito vezes campeão uruguaio e três vezes da Libertadores pelo Peñarol; campeão paulista, brasileiro e da Libertadores peloSão Paulo, e Leandro Andrade – 1901 – 1957 -, lateral da seleção campeã da primeira Copa do Mundo, em 1930, filho de escravo fugido do Brasil, e primeiro negro a se destacar no futebol uruguaio.

SEMPRE ARTILHEIRO – Suarez tem carreira bonita, iniciada em 2005-06 no Nacional de Montevidéu, com 12 gols em 34 jogos. Joga na Europa desde 2006-07, com 15 gols em 37 jogos pelo Groningen, de onde saiu para o Ajax, holandês mais conhecido no mundo pela história de Cruyff. Foram os 111 gols em 159 jogos que fizeram o Liverpool a contratá-lo por quatro temporadas, de 2010 a 2014, quando marcou 82 gols em 133 jogos. Suarez vai cumprir a partir de agosto, a sexta temporada no Barcelona – 177 gols em 247 jogos -, parceiro de Messi e vice-artilheiro do time bicampeão espanhol.

SEQUÊNCIA DE 0 x 0 – Uruguai e Peru fizeram na tarde deste sábado (29) chuvoso um dos jogos mais fracos da Copa América, o terceiro consecutivo sem gol das quartas de final, depois de Brasil x Paraguai e Chile x Colômbia, decididos em pênaltis. O Uruguai teve mais iniciativa das ações, mas esbarrou na marcação cerrada do Peru, que deixou clara a intenção de empatar para levar a decisão da vaga aos pênaltis, o que conseguiu com a defesa do goleiro Pedro Gallese na primeira cobrança.

BEM ANULADOS –O Uruguai teve três gols bem anulados pelo árbitro de video. O primeiro, do meia Arrascaeta, aos 28 do primeiro tempo, por impedimento do meia Nandez; o segundo, aos 13 do segundo tempo, por impedimento de Cavani, antes do cruzamento do meia Valverde, e o terceiro, aos 27, por impedimento de Luis Suarez, antes do cruzamento do lateral Caceres. O árbitro goiano Wilton Pereira Sampaio agiu com acerto ao pedir a revisão dos lances e ao anular os três gols.

4 CARTÕES, 25 FALTAS – De todas as atuações que vi nesta Copa América 2019, a de Wilton Pereira Sampaio foi a melhor, pela firmeza e discrição, sem nenhum espalhafato. Ele marcou 25 faltas (12 do Peru, que cometeu 9 no primeiro tempo) e só fez uma advertência com cartão amarelo no primeiro tempo, ao zagueiro Diego Godin, por falta em Guerrero. Na volta do intervalo, os peruanos Zambrano e Cueva receberam cartão, por falta em Suarez e carrinho em Torreira, e o uruguaio Valverde, por falta em Yotun. Com sábado chuvoso em Salvador, R$3.134.820,00. 18.083 pagantes, na Arena Fonte Nova.

PERU – Pedro Gallese, Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia, Yotun, Cueva (Raul Ruidiaz) e Flores; Carrillo (Gonzalez) e Guerrero. Técnico – Ricardo Gareca. O goleiro Gallese, de 29 anos, 1,89m, destro, é de Lima, capital do Peru, e completou 55 jogos pela seleção, que defende desde agosto de 2014.Depois de se destacar na Copa América de 2015, passou duas temporadas no México, jogando pelo time da cidade portuária de Vera Cruz. Seu time atual é o Alianza Lima.

URUGUAI – Fernando Muslera, Gonzalez, Godin, Gimenez e Caceres; Betancur, Nandez (Torreira), Valverde (Stuani) e Arrascaeta; Suarez e Cavani. Técnico – Óscar Tabárez. Só Luis Suarez falhou nas cobranças dos pênaltis. Cavani, Stuani, Betancur e Torreira converteram. O aproveitamento dos peruanos foi 100%, com Guerrero, Ruidiaz, Yotun, Advíncula e Flores. Na troca de cumprimentos após o jogo, Cavani foi o mais simpático, sorrindo e desejando boa sorte aos peruanos.

DESTAQUES DOS JORNAIS – O La República, de Lima, publicou: “Gallese foi decisivo e o Peru deixou sem Copa o favorito Uruguai”. El Comercio ressaltou: “Peru deixou Uruguai pelo caminho e avançou à semifinal”. O jornal classificou como uma grande façanha a classificação da seleção. No Uruguai, El Observador escreveu: “Peru frustra sonho do Uruguai”Na Argentina, Clarin fez referência ao árbitro de video: “Uruguai gritou três gols, mas não conseguiu comemorar, e levou o golpe do Peru nos pênaltis”.

BRASIL x ARGENTINA – Ao analisar as semifinais, o jornal Clarin faz referência “ao pesadelo do Brasil em sua última semifinal no Mineirão”, cita várias vezes os 7 x 1 da Alemanha na Copa de 2014, publica foto do jogo e enfatiza: “Foi um dos jogos mais chocantes da história das Copas do Mundo”

NA EUROPA – Apesar da acentuada diferença de horário, por já ser verão na Europa, os principais jornais não deixaram de abrir espaço à Copa América. Em tom de crítica bem moderada, o sóbrio L’Equipe – principal diário esportivo da França – ameniza as críticas a Luis Suarez por ter sido o único a não converter: “Suarez falhou, mas nem os melhores são imunes aos erros”. Na Espanha, Marca também suavizou o erro do atacante uruguaio: “Suarez havia convertido seus últimos 20 pênaltis, 10 pelo Barcelona e 10 pela seleção. O erro veio em hora errada”.

EM PORTUGAL – Enquanto o RECORD sintetizou “Pouco sobrou de Suarez”, ressaltando que “o choro do jogador uruguaio chegou a ser convulsivo”, o principal jornal esportivo português, A Bola, em termos que diferem dos nossos, dizer que “o Peru está nas meias-finais (semifinais, no português de Portugal), após eliminar o Uruguai na marcação das grandes penalidades”, como por lá são chamados os pênaltis. E destacou também “a bela defesa doguarda-redes” (como o goleiro é chamado por lá).

A BOLA também faz grande registro, com foto, do primeiro jogo do Flamengo sob o comando do técnico português Jorge Jesus, realçando o amistoso deste sábado (30) com o Madureira. O jornal aproveita para dizer que “o técnico do Flamengo não poderá contar com o meia brasileiro Gerson, que era do Fluminense,“porque a Roma acaba de vendê-lo ao Dínamo de Moscou”.