• NESTE SÁBADO, 23 DE OUTUBRO DE 2021, EM QUE O REI PELÉ completa 81 anos, começamos a matéria, ilustrada pela  seleção de fotos do web designer Marcelo Santos, que faz todas as nossas publicações, com o registro de alguns dos muitos fatos e historinhas, que marcaram a carreira do maior jogador de todos os tempos do futebol mundial.
  •  Sexta-feira, 15 de maio de 1981, Pelé foi aplaudido de pé, por 50 mil espectadores, no Parque dos Principes, em Paris, ao receber o prêmio de Atleta do Século 20, antes do amistoso França 1 x 3 Brasil. Jornalistas dos principais jornais e revistas europeus deram 178 votos a Pelé, mais 11 que ao norte-americano Jesse Owens, primeiro a ganhar quatro medalhas de ouro, nos 100 e 200 metros rasos; no salto em distância e no revezamento 4 x 100, nos Jogos Olímpicos de 1936, em Berlim. O jornal francês L’Equipe, promotor do evento, publicou em sete páginas a matéria da eleição de Pelé.
  •  Edson Arantes do Nascimento, filho de Celeste Arantes do Nascimento e João Ramos do Nascimento, nasceu na quarta-feira, 23 de outubro de 1940, na cidade de Três Corações, município do Sul do estado de Minas Gerais, hoje com 90 mil habitantes, a 287 km da capital Belo Horizonte. O nome foi escolhido pelo pai, fã do gênio norte-americano Thomas Edison – 1847 – 1931 -, surdo desde os 14 anos, e que aos 32 anos inventou a lâmpada elétrica, em 1879, após 1.200 experiências. 
  •  Sexta-feira, 7 de setembro de 1956, Pelé estreou como profissional no Santos, aos 16 anos, marcando o primeiro gol dos 7 x 1 no Corinthians, de Santo André, em amistoso no estádio Américo Guazzelli, em Santo André. O goleiro Zaluar, que entrou no decorrer do jogo, tornou-se corretor de imóveis ao encerrar a carreira, e mandou imprimir em seu cartão de visitas, que entregava sorrindo aos clientes: “Zaluar – goleiro do primeiro gol do Pelé”.
  •  Há um recorde de 63 anos da carreira de Pelé bem difícil de sequer ser igualado. Quando ganhou o primeiro título de campeão paulista, em 1958, ele foi o artilheiro do campeonato com 58 gols! Outro recorde também difícil de ser alcançado: Pelé foi 11 anos artilheiro do Campeonato Paulista, nove consecutivos, de 1957 a 1965, e depois em 1969 e em 1973. Só Pelé marcou 8 gols em um único jogo do Campeonato Paulista, sábado, 21 de novembro de 1964, na Vila Belmiro, Santos 11 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto.
  •  Artilheiro do Campeonato Paulista pela terceira temporada consecutiva, com 46 gols, Pelé liderou o mais famoso ataque da história do Santos – Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe -, recordista de toda a história do Campeonato Paulista, com 155 gols, em 1960. O ponta-esquerda Pepe, hoje aos 86 anos, segundo maior goleador do clube, com 403 gols em 741 jogos, entre 1954 e 1969, gosta de dizer, sorrindo e brincando: “Eu sou o maior artilheiro do Santos. O Pelé, é de outro planeta”.

 Assim como tornou a camisa 10 marca registrada de artilheiro, Pelé inspirou a criação do Gol de Placa, ao marcar aos 20 anos, no sábado, 5 de março de 1961, no Maracanã, seu segundo gol nos 3 x 1 no Fluminense, no Rio-São Paulo, torneio mais importante da época. Ele recebeu a bola na entrada de sua própria área e iniciou a arrancada em linha reta, passando por seis marcadores. Os últimos foram Clóvis, Pinheiro e o goleiro Castilho, que 23 anos depois seria técnico do Santos, campeão paulista de 1984. O termo Gol de Placa foi criado pelo jornalista Joelmir Beting.

AS FRASES – O mineiro Carlos Drummond de Andrade, mais influente poeta brasileiro do Século 20, escreveu: “O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols como Pelé. É fazer um gol como o Pelé”. O acriano Armando Nogueira, jornalista de muito talento, resumiu: “Se Pelé não tivesse nascido gente, teria nascido bola”. O presidente dos Estados Unidos, ao receber Pelé na Casa Branca: “Senhoras e senhores, bem-vindos à recepção. Meu nome é Ronald Reagan, sou presidente dos Estados Unidos. Mas você não precisa se apresentar: o mundo todo sabe quem é Pelé”.

O RECORDE – Único três vezes campeão do mundo, Pelé ganhou a primeira Copa aos 17 anos e 8 meses, em 1958. Pela seleção, 95 gols em 114 jogos e o recorde mundial de nunca ter perdido jogando com Garrincha. Estrearam em 15 de junho de 1958, com 2 x 0 na então União Soviética (hoje Rússia), e fizeram o último jogo em 12 de julho de 1966, marcando os gols dos 2 x 0 na Bulgária. Ao todo, 40 jogos, 36 vitórias, 4 empates, 55 gols pela notável dupla.

A RECUSA – Ferenc Puskas, meia húngaro histórico, quando perguntado sobre quem foi o melhor do mundo: “O maior jogador da história foi Di Stefano, com quem tive a honra de jogar no Real Madrid e na seleção da Espanha. Eu me recuso a tratar Pelé como jogador. Pelé foi gênio”. Andy Warhol, famoso pintor, cineasta e designer norte-americano: “Pelé é um dos poucos que contradizem minha teoria: em vez de 15 minutos de fama, ele terá 15 séculos”.

OS PESQUISADORES de diversas nacionalidades continuam tentando obter a resposta: quem foi o segundo melhor jogador do mundo?

Foto: Agência CH – Gazeta Esportiva – Yahoo Notícias – Diário de Pernambuco – O Imparcial – Facebook Pelé – Agencia EFE – Santos FC – Twitter – Dom Total – Ricardo Correa/Social QI – Divulgação/Santos FC – Portal Roma News – Blog do Deni Menezes – Franck Fife / AFP