Os agentes de segurança de Teerã, cidade moderna de quase oito milhões de habitantes, pouco abaixo da metade da população da República Islâmica do Irã, antiga Pérsia, famosa no mundo pela beleza dos tapetes orientais, trabalharam com muita discrição e paciência, para encontrar Reza Parastesh, de 26 anos, o falso Messi,denunciado por algumas das mais de 23 mulheres com quem dormiu várias vezes e desfrutou, segundo ele próprio confessou, de excelentes relações sexuais.

IDEIA DO PAI – Com a maior tranquilidade do mundo, ao ser abordado e detido pelos agentes, na região sul de Teerã, Reza Parastesho falso Messi, contou que há dois anos, ao voltar de Persepolis x Esteghlal – maior clássico do futebol do Irã -, no Estádio Azadi, um dos maiores do mundo, com 78 mil lugares, seu pai lhe deu a ideia de tirar uma foto com a camisa 10 do Barcelona. Reza então cortou o cabelo, à Messi, e deixou a barba crescer, o que fez aumentar sua impressionante semelhança com o craque. Talvez nem irmão gêmeo consiga ser tão parecido.

DEITOU E ROLOU – Depois de seguir a orientação do pai, o falso Messi – ajudante da família no mercado de pedras preciosas – viu a foto viralizar na internet e passou a desfrutar do prestígio. Solicitado com muita frequência, ele não esquecia nem mesmo de fazer na foto, sempre com a camisa do Barcelona e segurando uma bola oficial, o tradicional sinal de positivo com o polegar direito. Assim apareceu ao lado de duas das belas iranianas, que se fascinaram com seu charme e se tornaram presas fáceis.

Foto: Marca.com