Escolha uma Página

O PRÊMIO AO MELHOR TÉCNICO e à melhor técnica são as novidades da Bola de Ouro de 2024, que terá um convidado de luxo, a União Europeia de Futebol (UEFA), participando pela primeira vez da organização, em parceria com a revista France Footbal, que idealizou e criou o prêmio em 1956, antes ligada à FIFA.

ALÉM DAS BOLAS DE OURO, prata e bronze, os troféus Lev Yashin, goleiro russo, Bola de Ouro de 1963, ao melhor goleiro; Raymond Kopa, atacante francês, Bola de Ouro de 1958, ao melhor jogador jovem; Gerd Muller, atacante alemão, Bola de Ouro de 1970, ao melhor atacante de clube/seleção; Puskas, atacante húngaro, ao gol mais bonito, e Sócrates, meia brasileiro, ao melhor trabalho social.

OS NOMES DOS CONCORRENTES serão anunciados na 4ª feira, 4 de setembro, e a entrega dos prêmios, na 2ª feira, 28 de outubro, em cerimônia de luxo para 2.500 convidados especiais dos organizadores, no Teatro du Chatelet, em Paris, palco também da concorrida festa anual do prêmio Cesar de cinema.

O JÚRI É COMPOSTO por um jornalista de cada um dos cem países do ranking da FIFA. O critério da escolha se baseará no que foi feito na Copa América, na Eurocopa e nos Jogos Olímpicos, em que o futebol brasileiro não estará presente. A indicação dos escolhidos vem da opinião dos jornalistas da revista France Football.

O PRÊMIO É DECIDIDO pelos jornalistas, diferente do que ocorre na premiação do The Best (O Melhor), em que o maior peso da escolha é dos técnicos e dos capitães de todas as seleções do mundo. Será a 68ª festa da Bola de Ouro, que o ponta-direita inglês Stanley Matthews (1915-2000) foi o primeiro a ganhar em 1956.

MESSI É RECORDISTA, com oito Bolas de Ouro, único com quatro consecutivas: 2009-10-11-12/2015-19-21-23. Cristiano Ronaldo ganhou cinco: 2008-13-14-16-17. Só dois ganharam três Bolas de Ouro consecutivas, o holandês Cruyff (1971-72-73) e o francês Platini (1983-84-85). O holandês Marco van Basten também ganhou três, mas intercaladas (1988-89-92).

O ÚNICO BRASILEIRO a ganhar duas Bolas de Ouro foi Ronaldo, em 1997 e 2002, ano em que foi artilheiro e campeão da Copa do Mundo. Rivaldo ganhou em 1999, seu ano dourado no Barcelona, em que até gol de bicicleta marcou. Ronaldinho Gaúcho em 2005 no Barcelona, e o mais recente, Kaká, em 2007, no auge da carreira no Milan.

O REAL MADRID, além do prêmio de melhor clube do mundo, vive a expectativa de ter um quarteto com a Bola de Ouro: o técnico Carlo Ancelotti; Bellingham e Mbappé, que disputarão a Eurocopa pela Inglaterra e pela França, e Vinicius Junior, pelo que fez na Champions e pelo que pode fazer na Copa América.

Fotos: JD1 Notícias