O ATHLETICO PARANAENSE GANHOU PELA 2ª VEZ A COPA SUL-AMERICANA, igualando-se aos argentinos Boca Juniors e Independiente, ao vencer o Bragantino por 1 x 0, na tarde deste sábado (20), no estádio Centenário, em Montevidéu. O gol foi do atacante Nikão, aos 29 minutos do primeiro tempo, um dos três remanescentes do time campeão de 2018, junto com o goleiro Santos e o zagueiro Thiago Heleno. O título deu ao Athletico a vaga direta na Libertadores 2022.

ALÉM DA VAGA NA FASE DE GRUPOS da Libertadores 2022, o campeão Athletico Paranaense também estará disputando a taça da Recopa Sul-Americana com o campeão da Libertadores de 2021, título que Flamengo e Palmeiras decidirão no próximo sábado (27), também no estádio Centenário. Só pelo jogo deste sábado (20), em que venceu o Bragantino por 1 x 0, o Athletico receberá 4 milhões de dólares, o equivalente a 23 milhões de reais.

COM SEGURANÇA – O Athletico jogou com muita segurança desde o início, dando campo ao Bragantino e explorando os contra-ataques, como no lance decisivo, em que Nikão marcou o gol, com belo voleio de canhota, após o goleiro Cleiton rebater o chute forte do atacante uruguaio David Terans, um dos destaques do jogo. O Bragantino tentou reagir, mas o Athletico não deu espaço e manteve a vantagem até o apito final do uruguaio Andrés Matonte, com boa arbitragem.

OS CAMPEÕES – No esquema com três zagueiros, o Athletico foi campeão com Santos, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Nico Hernandez (Zé Ivaldo); Marcinho, Erick (Canesin), Cittadini (Nicolas) e Abner; Nikão, David Terans (Christian) e Renato Kayzer (Pedro Rocha). Na campanha, 11 vitórias, 2 derrotas, saldo de 16 gols (22 a 6). Líder da fase de grupos, venceu América de Cali, nas oitavas de final; LDU, nas quartas de final, e Peñarol, nas semifinais.

NIKÃO E O GOL – O Athletico é o 10º clube de Nikão, formado na base do Linense, CSKA Moscou e PSV da Holanda, tornando-se profissional em 2008 no Palmeiras. Na sequência, Santos, Atlético Mineiro, Vitória, Bahia, Ponte Preta, América Mineiro e Ceará, até se fixar no Athletico em 2015, campeão paranaense em 2016; da Sul-Americana 2018; da Copa do Brasil 2019, e pela segunda vez da Copa Sul-Americana, com o gol do título na final com o Bragantino. O Nikão é Maycon Vinícius Ferreira da Cruz, de 29 anos, mineiro nascido em Montes Claros, na 4ª feira, 29 de março de 1992.

1º DE VALENTIM – A Sul-Americana é o 1º título internacional de Alberto Valentim, técnico campeão carioca de 2018 no Botafogo e da Taça Guanabara de 2019 no Vasco. Foi sua 5ª vitória em 14 jogos no Athletico, que assumiu em outubro, quatro meses após ser demitido do Cuiabá, depois do 2 x 2 com o Juventude, em 29 de maio, na estreia da Série A. Ex-lateral, campeão paranaense de 2009, foi do primeiro time do Athletico que disputou a Libertadores. Alberto Valentim do Carmo Neto, mineiro de Oliveira, a 150 km de BH, tem 46 anos, nascido no domingo, 23 de março de 1975.

MENSAGENS – Os campeões de 2021 receberam mensagens, logo após o 1 x 0 sobre o Bragantino, dos campeões de 2018. O volante carioca Bruno Guimarães, do francês Lyon; o ala e meia Renan Lodi, do Atlético de Madrid, campeão espanhol; o paraense Rony, atacante do Palmeiras, e o atacante Pablo, do São Paulo, revelaram-se “alegres e muito felizes”. Pablo foi o autor dos gols nos empates (1 x 1) da decisão de 2018 com o Junior Barranquilla, que o Athletico venceu nos pênaltis (4 x 3), no segundo jogo, na Arena da Baixada, em Curitiba.

BOM LEMBRAR – O time do Athletico Paranaense, campeão da Copa Sul-Americana de 2018, formou no jogo final com Santos, Jonathan, Thiago Heleno, Leo Pereira (hoje no Flamengo) e Renan Lodi (hoje no Atlético de Madrid); Lucho Gonzalez (Wellington), Bruno Guimarães (hoje no Lyon) e Raphael Veiga (hoje no Palmeiras); Marcelo Cirino (Rony, hoje no Palmeiras), Nikão (Marinho) e Pablo, hoje no São Paulo (Bergson). Técnico – Tiago Nunes, hoje no Ceará.

Fotos: Staff Images / CONMEBOL, Facebook do Athletico Paranaense, Gustavo Oliveira, Reuters