Depois de ganhar os dois primeiros jogos e de perder os quatro últimos, o Athletico Paranaense empatou (1 x 1) pela primeira vez, em jogo de baixo nível técnico, com o Bragantino, na noite de ontem (2), na Arena da Baixada, em Curitiba. Foi o quinto jogo sem vitória do Athletico e o terceiro do Bragantino, que precisam melhorar muito para sair das posições secundárias em que se encontram após sete rodadas.

UM TEMPO SÓ – Athletico e Bragantino se salvaram pelo primeiro tempo, em que foram mais ofensivos, embora nada além de um gol. O do Athletico marcado por Geuvânio, aos 17, após belo drible no lateral Edimar e finalização forte em chute rasteiro no canto, e o do Bragantino, aos 30, em jogada inteligente de Claudinho, que viu o goleiro adiantado e o encobriu. Na volta do intervalo, os times deixaram no vestiário o pouco futebol que haviam apresentado no primeiro tempo.

ATHLETICO – Santos, Khellven, Lucas Halter, Pedro Henrique e Abner; Wellington (Richard), Erick (Carlos Eduardo) e Leo Cittadini; Geuvanio (Christian), Bissoli (Walter) e Pedrinho (Fabinho). Técnico – Eduardo Barros. O Athletico tem 7 pontos em 7 jogos – 2 vitórias, 4 derrotas, 1 empate, saldo negativo de dois gols (6 a 8) – e será visitante no próximo jogo, domingo (6), com o Vasco, em São Januário. 

BRAGANTINO – Cleiton, Aderlan, Leo Ortiz, Realpe e Edimar; Ryller (Correia), Mateus Jesus (Lucas Evangelista) e Claudinho; Arthur (Morato), Hurtado (Ytalo) e Leandrinho (Bruno Tubarão). Após a demissão de Felipe Conceição, foi o primeiro jogo do time sob a direção do técnico interino Marcinho. O Bragantino tem 6 pontos em 7 jogos – 1 vitória, 3 derrotas, 3 empates, saldo negativo de quatro gols (7 a 11) – e o próximo jogo, domingo (6), será com o Palmeiras, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, a 88 km da capital.

BOM LEMBRAR – Athletico e Bragantino voltaram a se enfrentar na Série A depois de oito anos. O último jogo que disputaram, com vitória (2 x 1) do Bragantino, foi em 2012 pela Série B. Bom dizer: o Bragantino está de volta à Série A depois de 22 anos. Pelo início da campanha de 2020, parece ter gostado mais da segunda divisão. 

DOIS CARTÕES – Wagner Magalhães, de 41 anos, da Federação do Rio de Janeiro e da FIFA, teve atuação tranquila e só advertiu com cartão amarelo o lateral-direito Khellven, do Athletico, e o atacante Claudinho, autor do gol do Bragantino.

Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer