Com poucas chances de gol, Atlético Mineiro e Santos ficaram no 0 x 0, no primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, na noite desta quarta (15), no estádio Independência, do América FC, no Horto, bairro da região Leste de Belo Horizonte. O Santos foi mais presente no primeiro tempo e o Atlético apresentou rendimento superior na volta do intervalo. No jogo de volta, dia 6 de junho, no estádio do Pacaembu, outro empate, com qualquer placar, leva a decisão da vaga aos pênaltis.

DOIS PROBLEMAS – O Atlético ficou sem o lateral-esquerdo Fabio Santos, que saiu logo aos quatro minutos, com estiramento muscular, e sem o meia Luan, que saiu aos 23 do segundo tempo, com torção do tornozelo. Pelo segundo jogo consecutivo o Atlético não fez gol, depois de perder a invencibilidade e a liderança do Brasileirão 2019, com a derrota (2 x 0) do último domingo, no Mineirão, para o Palmeiras. O próximo jogo, pelo Brasileirão, será sábado (18) com o Flamengo, em Belo Horizonte.

SEM IGUAL BRILHO – O Santos não teve o mesmo brilho da atuação do último domingo (12), no Pacaembu, quando venceu (3 x 0) o Vasco e subiu para o terceiro lugar do Brasileirão. O time pouco finalizou, principalmente no segundo tempo. Suspenso, o argentino Jorge Sampaoli foi substituído na área técnica pelo assistente Jorge Desio, irmão do analista de desempenho Carlos Desio. O próximo jogo vale a liderança do Brasileirão, sábado (18), com o Palmeiras, no Pacaembu.

ATLÉTICO – Victor, Guga, Rever, Igor Rabelo e Fabio Santos (Patric, 5 do primeiro tempo); Zé Welison, Elias e Luan (Natan, 23 do segundo tempo); Geuvanio (Cazares, 13 do segundo tempo), Ricardo Oliveira e Chará.

SANTOS – Everson, Victor Ferraz, Aguilar, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Jean Lucas, Diego Pituca e Jean Mota (Sasha, 27 do segundo tempo); Rodrygo (Cueva, 32 do segundo tempo) e Derlis Gonzalez (Soteldo, 17 do segundo tempo).

SÓ DOIS CARTÕES – O árbitro Rodrigo d”Alonso Pereira, da Federação Catarinense, teve atuação segura. Só mostrou um cartão amarelo no primeiro tempo, aos 23, quando Zé Welison, do Atlético, fez falta em Rodrygo, e aos 18 do segundo tempo, quando Elias impediu Jean Mota de arrancar em contra-ataque do Santos. Em noite chuvosa e com muito problema no trânsito da capital mineira, o público se retraiu: R$178.476,00. 11.176 pagantes.

Foto: UOL Esportes