A NOITE DESTE ÚLTIMO SÁBADO (24) DE SETEMBRO FOI SOB MEDIDA PARA O FLAMENGO: o Atlético Mineiro ficou no 0 x 0 com o São Paulo, e o Palmeiras perdeu (2 x 1) para o Corinthians, que não ganhava há três rodadas e não vencia o arquirrival há sete jogos. O líder Atlético tem 46 pontos e 14 vitórias; o vice-líder Palmeiras, 38 pontos e 12 vitórias, e o Flamengo, terceiro, 34 pontos e 11 vitórias, menos três jogos e o confronto direto com o Atlético, dia 31 de outubro, no Maracanã. 

DOIS DE ROGER – Na Arena Corinthians, o Palmeiras poupou alguns titulares, pensando na decisão da vaga para a final da Libertadores, que conseguirá se vencer, ou empatar com gol, com o Atlético, na noite de terça (28), no Mineirão, após 0 x 0 no jogo de ida em São Paulo. O primeiro tempo foi ruim e o Palmeiras só conseguiu empatar aos 46, com o gol de Gabriel Menino, depois que Roger Guedes abriu o placar aos 21 minutos.

POR POUCO – O jogo melhorou no segundo tempo, com os times mais em busca do gol, que por pouco o Palmeiras não conseguiu, aos 37, quando Gabriel Veron acertou a trave. Dois minutos depois, Roger Guedes decidiu com o gol mais bonito da noite, em chute forte no ângulo, aos 39, sem defesa para Weverton. Com a oitava vitória, o Corinthians termina a rodada em sexto com 33 pontos, sem que Internacional e Fluminense, com 29, possam alcançá-lo.

CASSIO, Fagner, João Victor, Gil e Fabio Santos; Cantillo (Vitinho), Giuliano, Renato Augusto (Du Queiroz) e Willian (Jô); Gabriel Pereira (Gustavo) e Roger Guedes, que no próximo sábado (2) completará 25 anos. Gaúcho de Ibirubá, revelado no Grêmio, sentiu-se desprezado pelo Palmeiras após o título brasileiro de 2016, passou três temporadas no chinês Shandong Luneng e acertou com o Corinthians há exatamente um mês, até 2026.

WEVERTON, Gustavo Gomez, Luan e Renan; Gabriel Menino, Patrick de Paula (Zé Rafael), Danilo e Gustavo Scarpa; Dudu (Willian), Wesley (Gabriel Veron) e Luiz Adriano (Deyverson) – o técnico português Abel Ferreira começa a sentir o peso do desgaste pelo declínio do time e, se não conseguir a classificação para a final da Libertadores, a situação poderá se complicar para a sequência do seu trabalho. 

SÃO PAULO 0 x 0 ATLÉTICO MINEIRO – O São Paulo jogou com cautela, considerando que o empate seria bom resultado, mesmo sem conseguir vencer nenhuma das equipes até o sexto lugar. O time do técnico argentino Hernan Crespo completou oito jogos sem perder no Morumbi – três vitórias, cinco empates -, mas sem poder ofensivo, ao completar o nono jogo sem fazer gol no atual campeonato. Décimo segundo com 27 pontos, tem saldo negativo de 5 gols (18 a 23).

O ATLÉTICO MINEIRO precisava de 1 gol para chegar aos 1000 gols na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro desde 2003. O jogo anterior em que o Atlético não fez gol, foi em 27 de junho, na Vila Belmiro, na derrota (2 x 0) para o Santos, na sétima rodada. O time completou oito jogos sem derrota como visitante, com a defesa menos vazada (7), e está invicto há catorze jogos, com 11 vitórias e 3 empates.

TIAGO VOLPI, Arboleda, Miranda e Leo; Galeano, Liziero, Luan, Rodrigo Nestor (Gabriel Sara) e Wellington (Reinaldo); Rigoni (Marquinhos) e Luciano (Calleri) – o São Paulo da campanha mais bisonha dos últimos tempos no Campeonato Brasileiro, sem conseguir sequer se aproximar do G-4. A equipe só ganhou 6 dos 22 jogos, empatando 9 e perdendo 7.

EVERSON, Guga, Nathan Silva, Rever (Jair), Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Franco), Zaracho (Hyoran) e Natan (Nacho Fernandez); Hulk e Vargas (Sasha) – o Atlético Mineiro, do técnico Cuca, que oito anos depois tenta ganhar pela segunda vez a Libertadores, que o time só conseguiu em 2013, e regastar o prestígio de campeão brasileiro, título que o Atlético só ganhou uma vez, no bem distante 1971, dirigido por Telê Santana.

Foto: Gazeta Esportiva