Vale tudo na guerra do futebol pela vitória. Em seu último jogo de 2020 no Mineirão, o Cruzeiro jogou sal grosso no gramado e goleou (4 x 1) o Brasil de Pelotas. O atacante Rafael Sobis fez um dos gols mais bonitos da história de 55 anos do estádio, onde o Cruzeiro foi pentacampeão (65 a 69), com a geração liderada por Tostão e Piazza, únicos titulares de times mineiros da seleção campeã do mundo em 1970 no México. No jogo seguinte, o arquirrival Atlético perdeu (2 x 0) para o Athletico Paranaense.

MAIS EXPRESSIVA – A goleada de 4 x 1 do Cruzeiro foi a vitória mais expressiva do time dirigido pelo técnico Luis Felipe Scolari, que entregou a sacola com sal grosso para o preparador físico Anselmo Sbragia espalhar em diversas partes do gramado, que não chegou a ser afetado. Essa crença de Scolari era até então desconhecida e ele trocou ideia com Sbragia, com quem já havia trabalhado no Palmeiras e na Copa de 2014, e que trocou o Corinthians pelo Cruzeiro a convite do técnico.

CENTENÁRIO – A três semanas de comemorar o centenário – 2/1/1921 -, o Cruzeiro participa pela primeira vez da Série B do Campeonato Brasileiro – décimo primeiro com 35 pontos em 27 jogos – 11 vitórias, 8 empates, 8 derrotas, saldo de 7 gols (32 a 25) -, e joga hoje (11), no estádio Barradão, em Salvador, com o Vitória, que promove a estreia do técnico Mazola Jr. Os quatro primeiros: Chapecoense, 54 pontos. América Mineiro, 50. Sampaio Corrêa, 44 (13 vitórias). Cuiabá, 44 (12 vitórias).

INDEPENDÊNCIA – O Cruzeiro decidiu fazer no estádio Independência, do América, os cinco jogos restantes com o mando de campo, já a partir do próximo, terça (15), com o CSA de Maceió. Os outros serão com Cuiabá, Oeste, Operário e Náutico, dia 23 de janeiro, uma semana antes da última rodada, dia 30, quando jogará em Curitiba com o Paraná Clube. O técnico Scolari, aos 72 anos, voltou ao Cruzeiro, em 2020, após 19 anos, para tentar recolocar o time na Série A, ainda que não seja em 2021.

QUARENTA VEZES campeão mineiro – 12 invicto -, com destaque para o penta de 65-66-67-68-69 e o tetra 72-73-74-75, o Cruzeiro foi o primeiro de Minas a vencer o Santos de Pelé, em uma final nacional da Copa do Brasil; único a ganhar duas Libertadores, em 76 e 97, e único quatro vezes campeão brasileiro, em 66, 2003, 2013 e 2014. O Cruzeiro teve o ataque mais explosivo do futebol mineiro: Natal, Evaldo, Tostão, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira, o do primeiro penta no Mineirão.

Foto: Youtube