Depois de duas derrotas, o Atlético Mineiro voltou a vencer (3 x 0), impondo-se ao São Paulo, que vinha de duas vitórias. O resultado do último jogo da sétima rodada, na noite de ontem (3), fez justiça ao melhor desempenho do time que quatro dias antes havia ampliado o recorde de títulos (45) de campeão mineiro. Embora o São Paulo tenha acertado o travessão aos 7 e um gol anulado aos 27, o Atlético já saiu em vantagem (2 x 0) para o intervalo, com os gols do meia equatoriano Alan Franco.

PRESSÃO E GOLS – Atuando com determinação e coragem, o São Paulo pressionou o Atlético e tentou o gol desde o início, mas o primeiro chute de Luciano parou no travessão, aos 7, e no segundo, ao fazer o gol aos 27, estava impedido. O meia equatoriano Alan Franco, de 22 anos, aproveitou a assistência do volante Jair e fez 1 x 0 aos 34, na saída do goleiro, e ampliou aos 44, com assistência do meia Hyoran, marcando seus dois primeiros gols com a camisa do Atlético, que o contratou até 2024.

GOL DE CABEÇA – O São Paulo voltou do intervalo tentando diminuir a diferença, mas o Atlético estava bem na marcação e o gol de cabeça do volante Jair, aos 14 minutos, esfriou muito a reação, e o Atlético quase marcou o quarto gol aos 19, com o chute de Keno na trave. Restou ao São Paulo o empenho até o fim, sem ter como evitar a segunda derrota como visitante, enquanto o Atlético conseguia a terceira vitória como mandante, seu primeiro 3 x 0, quinto do campeonato.

ATLÉTICO – Rafael, Mariano, Igor Rabello, Junior Alonso e Arana (Fabio Santos); Allan, Jair (Guga) e Allan Franco; Hyoran (Marrony), Sasha (Savarino) e Keno (Marquinhos). O técnico argentino Jorge Sampaoli, de 60 anos, fez questão de ressaltar a postura do time: “O Atlético teve atuação em que a determinação e a coragem estiveram acima de tudo, respeitando, mas sem temer o São Paulo”. Terceiro com 12 pontos e único sem empate – 4 vitórias, 2 derrotas, saldo de cinco gols (10 a 5) -, o próximo jogo do Atlético é como visitante, domingo (6), com o Coritiba.

SÃO PAULO – Volpi, Igor Vinícius, Diego, Leo e Liziero; Tchê Tchê, Gabriel Sara (Vitor Bueno) e Hernanes (Igor Gomes); Paulinho Boia (Brenner), Pablo (Toró) e Luciano. Vice-líder com 13 pontos – 4 vitórias, 2 derrotas, 1 empate, zerado no saldo de gols (7 a 7), o São Paulo vai estrear camisa no jogo com o Fluminense, domingo (6), no Morumbi. Bom lembrar: foi o jogo 80 da história, e o jogo 61 pelo Campeonato Brasileiro, com 18 empates, e o Atlético passando a ter a vantagem de uma vitória (22 a 21).

ÚNICO CARTÃO – Depois de consulta ao VAR, o árbitro Jean Pierre Lima, de 41 anos, da Federação Gaúcha e do quadro nacional da CBF, acertou na anulação do gol de Luciano, do São Paulo, aos 27 do primeiro tempo. O atacante estava um pouco depois do zagueiro Igor Rabello. Nenhum dos 30 jogadores foi advertido pelo árbitro, que só mostrou cartão amarelo para Fernando Diniz, técnico do São Paulo, entre os que mais reclamam.

Foto: Goal.com