Na longa viagem de 1.152 km a Vigo, cidade costeira do Noroeste, o Barcelona cedeu o empate (2 x 2) ao Celta, a dois minutos do fim de um jogo em que reclamou do árbitro Guillermo Cuadra Fernandez a não marcação de pênaltis em Piqué, Messi e Ansu Fati, e da falta de Piqué em Rafinha, que resultou no empate final. O Barça terminou a rodada 32 com 69 pontos e pode ficar a dois do Real Madrid, que chegará aos 71, se ganhar amanhã (28) do lanterna Espanyol.

DESPEDIDA – Foi o último jogo de Arthur, meia goiano de 23 anos, comprado do Grêmio por 30 milhões de euros em julho de 2018, que marcou quatro gols em 72 jogos, o último neste sábado (27), quando só entrou aos 41 do segundo tempo, substituindo o espanhol Riqui Puig. Arhur foi trocado pelo volante Miralem Pjanic, bósnio de 30 anos, que estava na Juventus desde 2016, com 22 gols em 170 jogos, considerado o melhor batedor de faltas da Europa nas três últimas temporadas. Arthur não conseguiu se firmar no Barcelona porque, na opinião da maioria dos críticos espanhóis, “seu ritmo de jogo é muito lento”.

BELA JOGADA – Messi tentou o gol 700 pelo segundo jogo consecutivo, mas ainda que não tenha conseguido, sua bela jogada no lance do primeiro gol, aos 21 minutos, foi mais uma para comprovar sua inteligência. Quando a defesa do Celta esperava que batesse a falta em chute direto, ele levantou a bola por cima da barreira e Luis Suarez completou de cabeça na pequena área. Nem houve chance de reclamação de impedimento porque dois adversários estavam na cobertura sobre a linha do gol. 

TRÊS GOLS – O Celta empatou logo aos 5 do segundo tempo, com o gol de Fyodor Smolov, atacante russo de 30 anos, emprestado pelo Lokomotiv Moscou, e o Barcelona só conseguiu ficar de novo em vantagem aos 23, com o segundo gol do uruguaio Luis Suarez, de 33 anos, em nova assistência de Messi. O empate final foi com o gol de Iago Aspas, atacante espanhol de 32 anos, advertido com cartão amarelo aos 43, por tirar a camisa para comemorar a bela cobrança de falta.

DIFERENÇA – Foi o décimo terceiro empate do Celta, que vinha de duas vitórias e chegou aos 34 pontos, terminando a rodada em décimo sexto. Um dos times com mais de 50 temporadas na primeira divisão, o Celta já renovou o contrato de Óscar Garcia, seu ex-meia de 47 anos, técnico por mais dois anos. O Barcelona tem falhado nas últimas rodadas, e a perda do título pode implicar na saída de Enrique Setien, seu ex-meia de 61 anos, que não tem correspondido como técnico. O investimento exige resultados.

OUTRA VANTAGEM – Além de favorito absoluto, mesmo fora de casa, o Real Madrid terá outra vantagem para ser campeão, por conta do confronto direto com o Barcelona, com quem empatou (0 x 0 no turno) e venceu (2 x 0) no returno. O Barcelona abrirá julho na próxima quarta (1), recebendo o Atlético de Madrid, no Camp Nou, e os jogos restantes serão com Espanyol, Villarreal, Valladolid e Alavés. Já o Real Madrid jogará com Getafe, Alavés, Granada, Leganés e Villarreal.

Fotos: Barcelona FC / Miguel Ruiz, site do Celta de Vigo e Foto: Getty Images