Escolha uma Página

Posse de bola, uma das grandes mentiras do futebol. O Real Madrid teve mais chances de gol no primeiro tempo, em que seu goleiro não fez defesa, e foi destroçado (3 x 0), na volta do intervalo pelo Barcelona, com direito a olé e chocolate, diante de 90 mil torcedores no estádio Santiago Bernabeu. O Barcelona disputará a sexta final consecutiva, em que pode ser o primeiro da história a ganhar a Copa do Rei pela quinta vez seguida, no sábado, 25 de maio, com Valencia ou Betis, em Sevilha.

MASSACRE – O Real Madrid entrou com a vantagem do 0 x 0 para ser finalista, pelo gol fora de casa no 1 x 1 do jogo de ida em Barcelona, teve que encarar o massacre do time de Messi na volta do intervalo. Logo aos cinco minutos, em triangulação perfeita pela esquerda, o lateral Jordi Alba lançou para Dembélé cruzar da linha de fundo e Suarez, de chapa, de pé direito, fazer 1 x 0 no canto direito do goleiro costa-riquenho Keylor Navas.

GOL CONTRA – O Real Madrid sentiu o gol de Suarez e o zagueiro francês Varane acabou marcando contra o segundo gol, na pequena área, depois que o lateral português Nelson Semedo avançou e deu o passe curto para a arrancada do francês Dembélé. Consciente, ele ergueu a cabeça e cruzou rasteiro para Suarez, na pequena área, mas Varane se antecipou e desvio para as próprias redes, aos 28 minutos. O Barcelona assumia de vez o controle do jogo.

CAVADINHA – Quatro minutos depois, o apoiador Casemiro – titular da seleção brasileira – pisou no pé direito de Suarez, derrubando o atacante uruguaio na área. Esperava-se Messi na cobrança do pênalti, mas quem pegou a bola foi Suarez, com toda tranquilidade. Ele tomou pouca distância, olhou para o goleiro e fez o terceiro gol, aos 32, com uma bela e humilhante cavadinha, no meio do gol, em que Navas ficou ajoelhado ao escolher o canto direito para tentar a defesa. Algo de cinema.

BARCELONA – Ter Stegen, Semedo, Piqué, Lenglet e Jordi Alba; Rakitic, Busquets (Arthur, aos 40) e Sergi Roberto; Messi (cap), Suarez (Arturo Vidal, aos 33) e Dembélé (Philippe Coutinho, aos 30). O técnico espanhol Ernesto Valverde fez as substituições no segundo tempo. O atacante brasileiro Malcom, ex-Corinthians, que marcou o gol de empate (1 x 1) no jogo de ida, ficou o tempo todo no banco de reservas. No final, entrou em campo e comemorou os 3 x 0 com os companheiros.

Fotos: site oficial do Real Madrid

REAL MADRID – Navas, Carvajal, Varane, Sergio Ramos (cap) e Reguillón; Modric, Casemiro (Valverde, aos 30) e Kroos; Lucas Vazquez (Bale, aos 22), Benzema e Vinícius (Marco Asensio, aos 36). O técnico argentino Santiago Solari fez todas as substituições no segundo tempo. O lateral Marcelo, titular da seleção brasileira, ficou entre os reservas.Rodopiou a  bola algumas vezes na ponta dos dedos e falou bastante, enquanto Casemiro e, um pouco mais atrás, Vinícius só ouviam.

QUATRO CARTÕES – O árbitro Alejandro José Hernandez, de 36 anos, há sete anos na Série A e há cinco na Fifa, teve atuação muito segura e em momento algum recorreu ao árbitro de video. Aplicou os quatro cartões amarelos no segundo tempo: aos 12, para Lucas Vazquez por um carrinho em Lenglet; aos 24, para Busquets por falta em Modric; aos 31, para Casemiro, que fez o pênalti em Suarez, e aos 35, para Semedo por falta em Vinícius, substituído logo em seguida.

NONA DECISÃO – O Barcelona vai participar da nona decisão da Copa do Rei da Espanha desde 2009 e só perdeu a de 2010 para o Sevilha e a de 2013 para o Real Madrid. É o maior vencedor do segundo torneio mais importante do futebol do país, com 30 títulos. Betis, de Sevilha, ou Valencia será seu adversário dia 25 de maio, quando a Copa do Rei vai ser decidida, como sempre em jogo único, pela primeira vez no estádio Benito Villamarin, do Betis. Nesse estádio, a seleção brasileira fez dois jogos na Copa do Mundo de 1982: 4 x 1, de virada, na Escócia (Zico, Oscar, Eder e Falcão) e 4 x 0 na Nova Zelândia (Zico 2, Falcão e Serginho).

VINÍCIUS JÚNIOR – Boa atuação, sem brilho. Deu o primeiro chute na direção do gol, por cima, aos 18 minutos. Não aproveitou o lançamento de Casemiro aos 36, e finalizou por cima o cruzamento de Reguillón aos 38. No segundo tempo, continuou bem marcado por Semedo e as chances diminuíram. Foi substituído por Asensio aos 36, segundos após sofrer a última das quatro faltas com cartão, cometida pelo português Semedo, que marca duro, mas joga limpo.

DENÚNCIA – O Real Madrid pode ser denunciado à Real Federação Espanhola de Futebol porque parte de seus torcedores, atrás do goleiro Navas, no primeiro tempo, emitiu vários sons, imitando macaco, quando o atacante francês Dembélé recebia a bola ou ia cobrar escanteio. O Barcelona ampliou a vantagem nos últimos jogos no estádio do Real Madrid, agora com seis vitórias – duas a mais que o arquirrival – e só um empate.

SEM PERMISSÃO – Depois de 643 dias de prisão preventiva e dois dias após ter sido liberado, sob fiança, da cadeia de Soto del Real, Sandro Rossel,  presidente do Barcelona de 2010 a 2014, não teve permissão da justiça para ir ao estádio. Ele tem que se apresentar às segundas e quartas ao Juiz e está com o passaporte retido. Rossel vai completar 55 anos na próxima quarta (6 de março) e foi condenado por má gestão, com desvio de milhões de euros. A sentença final ainda será anunciada. Sem apelação.

SÁBADO TEM MAIS – Real Madrid e Barcelona voltarão a se enfrentar no estádio Santiago Bernabeu, outra vez com a lotação de 90 mil lugares esgotada, no próximo sábado (2 de março), desta vez pela vigésima sexta rodada do campeonato. Faltando dez rodadas, o Barcelona lidera com folga – 57 pontos -, seguido do Atlético de Madrid com 50. O Real Madrid é terceiro com 48 pontos e só deve conseguir a vaga para a Liga dos Campeões da temporada 2019-2020. Os 3 x 0 deixaram time e torcida abalados.