Mesmo amplamente dominada na volta do intervalo, a Bélgica eliminou Portugal com o belo gol de pé direito do lateral-esquerdo Thorgan Hazard, de fora da área e com efeito no canto esquerdo, aos 42 minutos do primeiro tempo, e decidirá com a Itália, sexta (2), na Allianz Arena, em Munique, uma das vagas nas semifinais da Eurocopa. Campeão em 2016, Portugal tentava se igualar à Espanha, única que ganhou a Eurocopa duas vezes consecutivas, em 2008 e 2012.

MELHOROU – Só houve duas chances claras de gol no primeiro tempo: aos 24, na falta que Cristiano Ronaldo bateu forte com o peito do pé direito e o goleiro Courtois defendeu, e no gol que decidiu o jogo, aos 42, com o chute do meia Thorgan Hazard, que atuou como lateral. O segundo tempo melhorou, com domínio de Portugal, que obrigou  Courtois a duas defesas difíceis, e a bola na trave esquerda do goleiro belga em chute do lateral Raphael Guerreiro.

O CAPITÃO – Ficou evidente a importância do apoiador Kevin De Bruyne na seleção belga, que perdeu a criatividade no segundo tempo, quando ele pediu para sair logo aos dois minutos, após sentir o músculo da coxa em uma arrancada. De Bruyne passou a braçadeira de capitão ao zagueiro Vermaelen, e Dries Mertens, que o substituiu, não rendeu. Bem apagado na seleção belga foi Romelu Lukaku, campeão e vice-artilheiro da temporada italiana pela Inter de Milão.

O MAIS NOVO – Thorgan Hazard, autor do gol, tem 28 anos, 1,74m, é convocado para a seleção principal desde 2008, após passar por cinco categorias de base, da sub-15 a sub-19. Ele iniciou no francês Lens, jogou no inglês Chelsea e desde 2019 é do alemão Borussia Dortmund. Thorgan é irmão mais novo do meia Eden Hazard, de 30 anos, que o Real Madrid tirou do Chelsea, pagando a multa rescisória de 100 milhões de euros, quase R$700 milhões. 

100% – Depois das vitórias na fase de grupos – 3 x 0 na Rússia, 2 x 1 na Dinamarca e na Finlândia -, a Bélgica manteve os 100% de aproveitamento ao eliminar Portugal, que na fase de grupos venceu a Hungria (3 x 0), perdeu da Alemanha (4 x 2) e empatou com a França (2 x 2). O técnico espanhol Roberto Martinez, de 47 anos, assumiu a seleção belga em agosto de 2016, após boas campanhas na Inglaterra, com os modestos Swansea e Wigan, e no médio Everton, de Liverpool.

23 FALTAS – Bélgica 1 x 0 Portugal, neste último domingo (28) de junho, no Estádio Olímpico de La Cartuja, em Sevilha, no Sul da Espanha, foi ainda mais tenso no segundo tempo, mas o árbitro alemão Felix Brych, de 45 anos, há 14 na FIFA, soube manter a disciplina, advertindo com cartão amarelo João Moutinho, Diogo Dalot e Pepe, e os belgas Vermaelen e Alderweireld, e marcou 23 faltas (9 de Portugal). A seleção portuguesa fez 24 finalizações e teve 56% de posse de bola, enquanto a seleção belga teve 44% e finalizou seis vezes, só uma na direção do gol.

RANKING – A Bélgica, líder do ranking de seleções da FIFA, com 1.737 pontos, seguida da França com 1.734 e do Brasil com 1.676, tenta o título da Eurocopa pela segunda vez, após ter perdido a decisão de 1980 para a Alemanha por 2 x 1. Campeã pela única vez em 1968, quando a decisão ainda era em dois jogos, a Itália busca a segunda Eurocopa. Na primeira, empatou 1 x 1 e venceu por 2 x 0 a então Iugoslávia, no Estádio Olímpico de Roma.

JOGO 22 – Itália e Bélgica disputarão o vigésimo segundo jogo da história de seus confrontos, com ampla vantagem da Itália, que venceu 13 e a Bélgica só ganhou 4, mesmo número de empates. Em nível Mundial, a Bélgica ainda não conseguiu ganhar a Copa, que a Itália, primeira bicampeã em 34-38, também ganhou em 1982, derrotando a Alemanha (3 x 1), e em 2006, vencendo a França por 5 x 3 nos pênaltis, após 1 x 1 nos 120 minutos.

Foto: Goal