O Vasco se impôs com atuação bem superior ao Flamengo e venceu o bicampeão brasileiro e da Supercopa do Brasil por 3 x 1, na noite de ontem (15), no Maracanã, pela nona rodada do Campeonato Carioca, depois de 2 x 0 no primeiro tempo, com os gols do lateral Leo Matos e do atacante Cano. Na volta do intervalo, o atacante Morato fez 3 x 0, e só nos acréscimos, Vitinho marcou o gol do Flamengo, que havia vencido nove e empatado oito, nos últimos dezessete jogos com o Vasco.

NO INÍCIO – O Vasco dominou o Flamengo desde o início e abriu o placar logo aos seis minutos. Depois do escanteio do lateral-esquerdo Zeca, melhorando a cada jogo, o lateral Leo Matos, de 24 anos, 1,84m, ganhou na impulsão do zagueiro Bruno Viana, 26 anos, 1,87m, emprestado pelo Sporting de Braga, e abriu o placar com um belo gol de cabeça. Aos 28, com assistência de Morato, o argentino Cano comemorou o primeiro gol que fez no Flamengo como se estivesse dando uma tacada de golfe.

TERCEIRO – O atacante Morato, paulista de 28 anos, emprestado pelo Bragantino, comemorou o terceiro gol, primeiro que fez com a camisa do Vasco, aos 33 do segundo tempo, imitando com os braços a dancinha do ex-atacante Edmundo. Só nos acréscimos, Vitinho, que entrou no intervalo e acertou uma bola na trave logo aos cinco minutos, fez o gol do Flamengo, aos 48, e o jogo acabou logo após a nova saída do Vasco, que foi superior e mereceu a vitória.

35 FALTAS – Foi um jogo pegado, bem de acordo com a tradição do clássico, e o árbitro Bruno Arleu Araújo, carioca de 38 anos, militar, na FIFA desde 2020, teve mais uma atuação segura. Aplicou seis cartões amarelos, em Diego e Gerson, do Flamengo, e em Leo Matos, Morato, Caio Tenório e no paraguaio Matias Galarza. O técnico Marcelo Cabo, invicto no Vasco – 4 vitórias, 5 empates -, também foi advertido com cartão amarelo. Das 35 faltas, 17 foram cometidas pelo Vasco.

DOIS DEDOS – Muitas provocações durante o jogo. Depois de dizer que “o time do Vasco é muito fraco”, Gabriel ouviu o que não queria dos dirigentes e os provocou, usando os dedos indicador e médio da mão esquerda para fazer o sinal de que o Vasco vai disputar a segunda divisão. Os dirigentes do Vasco reclamaram do tratamento recebido do Flamengo, que os colocou em camarotes distantes, fechados e sem refrigeração, e mandou servir água mineral sem gelo. 

ARRASCAETA – O Flamengo deu a versão de que o meia uruguaio Arrascaeta, autor do segundo gol e premiado como o melhor da decisão da Supercopa com o Palmeiras, não jogou ontem (15) por entorse do tornozelo. No entanto, fontes próximas ao jogador disseram que está havendo divergência financeira dele com o clube.

VASCO – Lucão, Leo Matos, Ernando, Castan e Zeca; Andrey (Miranda), Matias Galarza (Carlinhos) e Marquinhos Gabriel; Morato (Caio Tenório), Cano (Leo Jabá) e Gabriel Pec (Bruno Gomes). O zagueiro Castan disse ter sido uma das melhores apresentações do time, marcando bem e rápido na transição da defesa para o ataque: “Fomos bem, mas podemos melhorar”.

FLAMENGO – Diego Alves, Isla (Mateuzinho), Bruno Viana, Willian Arão e Filipe Luis; João Gomes (Vitinho), Diego, Gerson e Everton Ribeiro (Rodrigo Muniz); Bruno Henrique e Gabriel. O técnico Rogerio Ceni reconheceu a superioridade do Vasco, elogiou a atuação do sistema defensivo, e admitiu que o Flamengo esteve em noite de pouca inspiração.

2 x 0 EM MANAUS – A última vitória do Vasco (2 x 0) sobre o Flamengo havia sido no domingo, 24 de abril de 2016, na Arena da Amazônia, em Manaus, pelas semifinais do Carioca. Andrezinho, aos 21 do primeiro tempo, e o colombiano Riascos, aos 11 do  segundo, marcaram os gols, diante de 44.419 pagantes. O Vasco foi o campeão de 2016, ao vencer os dois jogos da decisão com o Botafogo (1 x 0 e 2 x 1), que na outra semifinal eliminou o Fluminense. 

BOM LEMBRAR – O Vasco dos 2 x 0 no Flamengo, em 2016, em Manaus teve Martin Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar (Rafael Vaz); Diguinho (Pikachu), Julio dos Santos, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Riascos (Eder Luis). Técnico – Jorginho. Flamengo – Paulo Victor, Rodinei, Cesar Martins, Wallace e Jorge; Arão (Ederson), Cuellar e Mancuello; Gabriel (Alan Patrick), Marcelo Cirino (Felipe Vizeu) e Guerrero. Técnico – Muricy Ramalho.

Fotos: Goal | Lance! | André Durão